Todo porco grita quando sabe que vai morrer

Se você nunca viu um porco sendo preparado para morrer, eu não recomendo a cena. É impossível não sentir pena. Assim que começam a raspar seus pelos ele começa a gritar. E assim vai até o momento do abate. E ainda dizem que quando mais dó tiverem do animal enquanto ele é abatido, mais ele demora para morrer.

O que temos visto são porcos gritando enquanto seus pelos são raspados publicamente pela realidade.  Porcos que trabalhavam e ainda tentam trabalhar para transformar o Brasil em um imenso chiqueiro. Fizeram da república uma pocilga, querendo preservar a ração balanceada para si e deixar a lavagem para o resto do povo. Não por acaso A revolução dos bichos, de George Orwell, foi comandada por porcos.

É difícil prever até quando teremos que aturar esses porcos gritando como se estivessem realmente no comando, e o quanto ainda se terá de pena deles fazendo essa morte mais lenta. E mesmo assim eles gritam, incomodam, porque é gritando que porco sabe morrer.

A desordem da república brasileira está com os dias contados. Uma nova ordem deve se estabelecer no Brasil, e não sairá barata para lado algum. Alguém tem que perder, e são os porcos que estão gritando.

O jogo meramente sujo já não tem encontrado ambiente para fazer eco. Basta ver as manifestações da esquerda do dia 12/7. Aliás tem duas coisas muito esclarecedoras: não havia o que falar, e não havia para quem falar. Portanto, esse jogo não funciona mais. E eles gritam mais alto.

A ralé com mandato no Congresso Nacional sabe que perdeu, Câmara e Senado. E a toque de caixa vão mexendo nas leis, devolvendo medidas provisórias, criando CPIs, encomendando ações e pareceres de membros do ministério público, obrigando a polícia federal a obedecer ordens ilegais, produzindo presos políticos, assassinatos de reputação como estão fazendo com Dra. Mayra Pinheiro. Em contrapartida seguram projetos vindos do governo, judicializam todas as suas ações, nomeações, decretos, medidas provisórias, criam gastos sem dizer de o de vira a receita, forçam que o governo tropece nas imparáveis exigências e cometa algum crime passível de sofrer um impeachment, que é por si só uma ameça constante, na verdade o único ponto de barganha legal que a esquerda e bandidagem Ltda tem em mãos.

Cada apreensão de drogas, pela mesma polícia federal que se obriga a obedecer ordens ilegais, é uma navalhada raspando o porco. Cada brasileiro que se escandaliza e reage à lama do chiqueiro é mais um para ajudar a raspar mais rápido, e mais porcos ao mesmo tempo. E por isso eles gritam.

Ao contrário dos porcos reais, do qual se diz que se aproveita tudo, até o rabo, dos suínos que ostentam mandato eletivo não se aproveita nada, muito menos o rabo. Certos deputados e senadores serão tão inúteis para a sociedade quanto são enquanto tem o mandato, exceto pelo fato de que não terão mais o poder e a estrutura de proteção legal que um político tem para exercer sua atividade. Os criminosos serão apenas criminosos comuns.

Por mais que uma renovação de verdade seja feita nas próximas eleições, com o que sou muito pessimista – e disse isso no meu artigo anterior, penso que no Senado é possível produzir mudanças significativas, e, além da presidência, as eleições para o senado devem ser nosso grande foco. Se mudamos o Senado a ponto dele não chancelar mais as sandices provenientes da Câmara dos Deputados, o legilslativo passará a ter um equilíbrio de forças inexistente no atual cenário. Grosso modo, um serve pra chancelar o que o outro faz, e o presidente se vire para sancionar ou vetar. E se vetar eles derrubam.

Em 2022 há 27 nomes cujas biografias já mostraram quem são, e que, mesmo com carreiras longevas, nunca fizeram nada relevante pelo Brasil, apenas por si mesmos. Pior ainda são as carreiras jovens, que desde início já mostraram atrás de que bloco seguem. Precisamos eleger um senado de direita conservador, o que, com essa nova regra eleitoral em vigor, será muito mais fácil do que eleger um deputado federal.

Não vamos nos assustar com os gritos. São altos, fortes, mas inúteis. Quando o porco chega nesse estágio do processo de abate não tem mais volta. E que ele reze para seu carrasco não sentir pena para morrer mais rápido.

Que possamos muito em breve parar de ouvir esses gritos e no lugar poder ouvir diálogos que sejam consoantes com os ambientes nos quais acontecem. Que o legilslativo volte a falar de Brasil ao invés de falar de partidos e de politicagem. Que o judiciário volte a falar de leis ao invés bde falar de política e interferir nós outros poderes da república. Que uma oposição madura discuta o país e não os anos de cadeia aos quais seus líderes foram condenados por corrupção. Que a imprensa volte a falta de notícias e deixe de ser novela e que a novela deixe de ser um instrumento de mentir para as pessoas.

O Brasil entrou em um novo momento, porque o povo aderiu a essa agenda e já demonstrou que não aceita mais abrir mão dela. O único jeito de levar nosso país a um salto de qualidade em nossa democracia e promovendo uma profunda ruptura com o sistema instalado. Não há convivência possível entre uma agenda desenvolvimentista para o Brasil e o coronelismo suíno praticado por todo esse simbolismo do atraso corrupto que ainda ocupa cargos eletivos. E se não é possível que a mudança na Câmara seja imediatamente impactante, no Senado Federal ela é possível, viável e absolutamente necessária.

Deixe um comentário