Arquivo da tag: #Politica

Posicionamento em política. Ter ou não ter? Eis a questão.

POSICIONAMENTO EM POLÍTICA. TER OU NÃO TER? EIS A QUESTÃO.A relação de muitas pessoas com política é algo muito estranho. Todo mundo tem uma preferência particular por alguma coisa. Um tipo de carro, uma cor, um sabor, um perfume, uma temperatura, um time de futebol, um tipo de bebida…

Quando se trata de política, no entanto, é grande o contingente de quem não uma preferência clara, ou não tem nenhuma preferência, tomando decisões equivocadas ou influenciadas, ou se abstendo de participar da decisão.

Partindo desse princípio, porque ficaria insatisfeito quem escolhe um Uno se prefere uma Ferrari? Porque preferiria o azul quem gosta de vermelho? Porque escolheria o salgado se prefere doce? Porque cheiraria a rosa quem prefere o lírio? Porque a para a praia se prefere a neve? Porque assistiria um jogo do Corinthians se prefere o Flamengo? Porque beberia uma vodca se preferiria vinho?

Troco provocações constantes sobre política com uma amiga, que tem posicionamento em política completamente oposta à minha. Mas eu tenho uma posição. E ela tem uma posição.

Independentemente do que pensamos a respeito de política, nós pensamos. E eu a respeito por isso. E ela me respeita.

O debate que travamos é por ideias, por ideais, por noções e visões de sociedade, de futuro.

Isso não nos torna melhores do que ninguém, mas nos torna responsáveis por querer um caminho ou outro para o nosso país, e, portanto, responsáveis também pelo governo que temos e pelo sucesso ou fracasso desse mesmo governo, pois apoiamos a sua escolha. Da mesma forma, somos responsáveis por questionar aquilo que é contrário à nossa preferência, questionar um governo oposto pela não obtenção daquilo que desejamos para a população e o país.

As pessoas precisam se posicionar politicamente, precisam escolher um lado, por aquilo que ele oferece e, principalmente, pela capacidade de realizar o que promete.

Enquanto as pessoas não se posicionarem, de fato, apostando efetivamente numa opção que represente suas vontades e suas aspirações, continuarão a andar em qualquer carro, vestir qualquer cor, comer qualquer sabor, usar qualquer perfume, não se importar se faz frio ou calor e beber qualquer tipo de bebida. E de boca fechada. Quem não usa seu direito de escolher, de participar de uma escolha, não pode ter o direito de reclamar do resultado ruim.

No máximo ir de garupa no sucesso dos outros. Se conseguir.

Leia também

https://nopontodofato.com/politica/temos-corte-acovardada/

VEJA AS FICHAS DOS DEPUTADOS QUE VIAJARAM COM MICHEL TEMER PARA A CHINA

4 HORAS DA MANHÃ NA CHINA – TRÊS DEPUTADOS VÃO AO QUARTO DE MICHEL TEMER COMEMORAR O ANÚNCIO DE RODRIGO JANOT SOBRE A REVIRAVOLTA NO CASO DA DELAÇÃO DA JBS. ACREDITE, SÃO ELES:

BETO MANSUR – PRB/SP (que aparece na foto saindo do avião logo atrás de Temer)

TRT – Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região – Processo nº 0008600-37.2005.5.18.0251 – Condenado em primeira instância pelas condições de trabalho degradantes, análogas à de escravo, a que os trabalhadores empregados em suas fazendas eram submetidos. Teve que pagar indenização de R$ 200 mil por danos morais coletivos. Apresentou recursos, que foram negados: TRT – ED nº 0008600-37.2005.5.18.0251, TRT – RO nº 0008600-37.2005.5.18.0251 e TST – ARR nº 8600-37.2005.5.18.0251. Ainda recorre.
TRF-3 Subseção Judiciária de Santos – Processo nº 2004.61.04.003219-5 – Foi condenado em ação civil pública por improbidade administrativa/violação aos princípios administrativos ao ressarcimento ao erário e a pagamento de multa. A condenação foi mantida em dois julgamentos na segunda instância: TRF-3 – Apelação nº 2004.61.04.003219-5. O parlamentar recorreu em terceira instância, mas o tribunal manteve a decisão: STJ – Embargos de divergência em recurso especial nº 1521595/2016.
TJ-SP – Comarca de Santos – Ação popular nº 0024917-13.2004.8.26.0562 – Foi condenado a ressarcir os cofres públicos por contrato de fornecimento de cestas básicas firmado com dispensa irregular de licitação pelo município de Santos. O STJ manteve a decisão, mas reduziu o valor a ser indenizado pelo parlamentar: STJ – Embargos de divergência em recurso especial nº 1192563/2016. Ainda recorre.
TJ-SP – Comarca de Santos – Processo nº 0014162-27.2004.8.26.0562 – Foi condenado a pagamento de indenização por danos morais e materiais por omissão relativa à segurança do trabalho, juntamente com o Partido Progressista (PP). O parlamentar recorre da decisão: TJ-SP – Apelação nº 0014162-32.2001.8.26.0562.
TRE-SP – Representação nº 801975.2014.626.0000 – Representação movida pela Procuradoria Regional Eleitoral por captação ou gasto ilícito de recursos financeiros nas eleições de 2014.
STF – Inquérito nº 2519/2007 – Inquérito – apura crime contra a administração em geral.
TRF-3 – Seção Judiciária de São Paulo – Ação civil pública nº 0023970-18.2015.4.03.6100 – Réu – ação civil pública que pede a suspensão da concessão da Rádio Cultura FM Santos Ltda., da Sociedade Rádio Cultura São Vicente Ltda. e da Empresa de Comunicação PRM Ltda., das quais o parlamentar é sócio. Essa é uma da série de ações movidas pelo MPF para cassar concessões de rádio/TV de emissoras que tenham congressistas em seu quadro societário. A Justiça deferiu liminarmente a suspensão. Mansur recorre: TRF-3 – Agravo de instrumento nº 0002888-58.2016.4.03.0000.
TCE-SP – Processo nº 5772/ 026/ 98 – Exercício financeiro de 1998. Dentre outras irregularidades, não aplicação de regras para despesa com educação e não recolhimento da parte patronal da Caixa de Previdência.
TCE-SP – Processo nº 2529/ 026/ 00 – Exercício financeiro de 2000. Dentre outras irregularidades, aplicação insuficiente de recursos na educação.
TCE-SP – Processo nº 2909/ 026/ 03 – Exercício financeiro de 2003. Dentre outras irregularidades, aplicação insuficiente de recursos na educação e no ensino fundamental e pagamento acima do limite permitido a servidores públicos.

DARCÍSIO PERONDI – PMDB/RS

TRF-4 – Seção Judiciária do Rio Grande do Sul – Ação civil pública nº 0000725-26.2004.404.7105 – Condenado em ação civil pública – cobrança indevida de honorários médicos de pacientes do SUS quando era presidente do Hospital de Caridade de Ijuí/RS. Pagamento de multa. Omissão em coibir práticas que atentassem aos princípios da administração pública e também por atraso no andamento das investigações. Recorreu e perdeu TRF-4 – Apelação cível nº 0000725-26.2004.404.7105. Recorreu ao STJ e aguarda – Recurso especial nº 1352219/2012.
TRE-RS – Prestação de contas nº 55121.2002.621.0000 -Prestação de contas das eleições de 2002 rejeitada.

FÁBIO RAMALHO – PMDB/MG

TCE-MG – Processo nº 701636/2005 – Responsabilizado e multado por falhas referentes a controle interno e a processos licitatórios entre 2003 e 2004.
TCE-MG – Processo nº 743461/2002 – Responsabilizado e multado por irregularidades em procedimentos licitatórios entre 2002 e 2003.

 

O POUCO COMENTADO DEPOIMENTO DO PRIMO DO PRIMO DO BUMLAI

NÃO É NENHUMA BOMBA ATÔMICA. MAS REVELADOR SOBRE O CARÁTER DE LULA, ROBERTO TEIXEIRA E BUMLAI.

De repente eis que surge um senhor de 77 anos de idade diante de Sérgio Moro, Glauco Costa Marques, primo de José Carlos Bumlai, laranja da compra da cobertura vizinha a de Lula em São Bernardo, e também do terreno aonde seria o Instituto Lula.

Confesso que já pensei muito mal desse senhor, mas vendo o depoimento dele ao juiz Sérgio Moro, senti foi pena. Não que ele seja um inocente daqueles que não sabem de nada. Mas é um ingênuo daqueles que pensam que sabem de tudo.

José Carlos Bumlai não teve dó de abusar dessa ingênua esperteza para negócios que teria o primo. Ao que se viu, Glauco Costa Marques é daqueles espertalhões que gosta de ganhar dinheiro fácil, e se interessou pelos negócios pouco ortodoxos oferecidos pelo primo José Carlos que gozava da intimidade do presidente da república.

O estratagema foi tão bem armado que ele foi levado ao aniversário de Luiz Cláudio Lula da Silva, na cobertura do presidente em São Bernardo. E ali, como quem não quer nada, o primo asno encantado José Carlos mostrou a ele a cobertura, que depois foi objeto da compra e do interesse de ganhar algum. Mas naquele momento, Glauco Costa Marques gozava da intimidade da família Lula.

O dinheiro que ele ganhou intermediando a compra do terreno do Instituto Lula foi pedido de volta. Ele reclamou com o primo que apenas disse: devolva. E ele devolveu.

A empresa que o primo José Carlos sugeriu abrirem para fazer negócios, que nem o próprio Glauco explica bem quais são, ele abriu, em seu nome, e logo depois tomou mais uma pernada, tendo que ceder as cotas para Luiz Cláudio Lula da Silva, aquele mesmo do aniversário que ele foi.

Glauco Costa Marques é só um espertalhão, não poderia ser chamado de corrupto, e na minha opinião não merece punição maior do que alguma multa. Mostra-se, inclusive, uma pessoa com dificuldades de raciocinar e expressar com clareza seus pensamentos.

O mais importante a observar nesse depoimento é a falta de escrúpulos de José Carlos Bumlai ao envolver o próprio primo como laranja, em esquemas nos quais, tal qual no xadrez, ele era só um peão sem importância. E também a maneira como Lula e seu comparsa Roberto Teixeira, que é sogro do medíocre Cristiano Zanin, usavam e abusavam dos asnos encantados pelo ex-presidente.

E quase ninguém deu bola para isso.

JOESLEY, STF, JANOT, TEMER, FUNARO, LULA, ODEBRECHT, GEDDEL, PALOCCI… TÁ CONFUSO?

TUDO O QUE OS ABAFADORES DA LAVA JATO QUEREM É QUE VOCÊ CONTINUE TENDO A ILUSÃO DE QUE AS COISAS ESTÃO SE MEXENDO

Mas não estão. E para falar de tanta coisa tem que ser ‘a lá’ Ricardo Lewandowski, fatiando.

Joesley, STF, Janot e Temer

Essa história não poder acabar bem, para nenhum dos lados. As falhas que envolveram todo esse processo não podem encobrir todos os crimes e suspeitas que foram revelados. As novas gravações de Joesley Batista só comprovam que ele é, sim, um bandido articulado e perigoso. E reforçam a comprovação de que os outros também são.

Por mais bêbados de álcool e de poder que pudessem estar Batista e Saud nas 4 horas de gravações entregues à PGR, ninguém se arvora a falar com tanta leviandade que vai corromper ministros do STF se isso não fosse um objetivo. Nem daria detalhes e citaria personagens e estratégias se não fosse um plano a ser executado.

Janot, Lula

A denúncia do “quadrilhão” soa quase como um pedido de perdão de Rodrigo Janot. Ela não é inócua, nem mentirosa, nem mesmo mal elaborada. Mas completamente fora do tempo, mesmo que antes tarde do que nunca. E com essa tardia denúncia que só esperava para acontecer, Lula e cúmplices ganharam pelo menos dois anos na tramitação do processo no STF.

De duas uma. Ou mandam para a primeira instância quem não tem prerrogativa de foro, que seria o correto, ou daqui há poucos anos veremos processos como os de Lula e Dilma perderem o objetivo pelo falecimento dos réus. E fica o dito pelo Benedito.

Janot, Funaro, Temer

Rodrigo Janot está tentando parecer aquele mocinho de filme que, depois de muito ferido e completamente nocauteado pelos bandidos, encontra forças, sabe-se Deus de onde, e com golpes certeiros e mortais derruba todos a sua volta, salva a mocinha e morre em seguida. A delação de Lucio Funaro é um desses golpes enquanto não morre. E o grau de letalidade dele parece ser alto. Ainda penso ser mais provável que Temer não termine o mandato.

Geddel, Temer

Um dos motivos para que Temer não conclua seu mandato é que, diante dos 51 milhões descobertos no apartamento mantido clandestinamente por Geddel, não é difícil para que todos concluamos que é tudo farinha do mesmo saco e provavelmente da mesma plantação. Não dá para dissociar a proximidade de tantos anos de Michel Temer com Geddel Vieira Lima. Não dá para imaginar que Temer tenha ficado sequer assustado quando soube da notícia. Isso se parte da mufunfa não pertença a ele ou ao PMDB ou sabe a quem mais.

Marcelo Odebrecht, Lula

Qual a novidade? Nenhuma. Só falou o que já se sabia. Apenas reforça que é Luis Inácio da Silva. Bandido. O bom é que é mais um passo para a finalização de mais esse processo contra Lula, no qual também será condenado.

Palocci, Lula

Esse sim pode acrescentar alguma coisa significativa se quiser, no mínimo confirmando o que foi dito por Marcelo Odebrecht. Palocci é o personagem que oferece mais risco para Lula, porque é o único capaz de fornecer fatos novos, detalhes, informações e peças que faltavam nesse quebra cabeças da Lava Jato.

Tudo parece, mas não é

Muita coisa está acontecendo ao mesmo tempo, mas pouca coisa está realmente avançando. Toda essa salada de Joesley Batista pode provocar alterações significativas, pois a defesa de Temer agora quer a anulação da operação inteira, quando a PGR só fala na anulação dos benefícios concedidos. E não confiávamos no STF, agora ainda menos.

Tudo isso dá força para quem tem a intenção de reverter o entendimento sobre prisão após condenação em segunda instância, e essa reversão beneficia praticamente todos os presos e condenados na Lava Jato, incluindo e principalmente Lula.

As coisas não estão se encaixando para que entendamos que, finalmente, denunciados serão condenados e presos. O discurso todo é sempre esse, os movimentos aparentam ser, mas nada se mexe. É só ilusão de ótica mesmo.

 

 

 

DESDE A REDEMOCRATIZAÇÃO O BRASIL VIVE DE FARSA EM FARSA

ESTÁ NA HORA DE VOCÊ FAZER UMA ESCOLHA SOBRE O PAÍS QUE QUER VIVER

Se você não estiver interessado em esclarecer o presente e pensar realmente no futuro, pegue a pílula vermelha e desista desse texto aqui. Mas se quiser tentar entender um ponto de vista a respeito desse momento, fique com a azul e siga meu raciocínio.

As pessoas que comandam o país são as mesmas desde a posse de José Sarney, dada a morte do titular do cargo Tancredo Neves. Depois de passar todo o regime militar no partido do governo, Sarney tinha saído da Arena e ido para o MDB, vindo a ser o vice na chapa de Tancredo.

Vem da época do regime militar a ligação de Sarney com o setor elétrico, e prova foram as sucessivas vezes que ele mesmo, ou alguém ligado a ele, como Edson Lobão, estiveram no cargo. Muito provavelmente a exceção foi Dilma Rousseff, mas sem que isso tenha interferido nos seus interesses.

Pode-se dizer que desde então praticamente nada de importante no mundo político aconteceu sem a benção de José Sarney, ou sem que no mínimo lhe tenha sido pago algum para que não houvesse melindres.

Mas com tantos assuntos do dia, como JBS, Rodrigo Janot, Marcelo Odebrecht, Lula, porque raios estou eu falando de José Sarney? Só para que você entenda que nada mudou. Aliás, uma coisa mudou sim. As cifras da corrupção saíram da casa do milhão para a casa do trilhão, praticando assim a distribuição de renda que tanto os políticos pregam em seus comícios, só que apenas entre eles mesmos.

Vieram Collor, Itamar, Fernando Henrique, Lula, Dilma e Temer, e só o que se viu foi o aprofundamento da farsa e a profissionalização da corrupção em larga escala, resultando no que vivemos hoje.

A trama da delação da JBS se insere perfeitamente nesse contexto, e aqui vou me permitir ser contra a corrente e dizer que tudo sempre foi tramado para acontecer como está acontecendo. Não há esquecimentos, não há coisas que foram omitidas ou escondidas e só agora lembradas. Foi tudo cronogramado e cronometrado para acontecer na sequência e nos intervalos de tempo que estão acontecendo.

A delação da JBS foi uma aposta altíssima, que de tão alta precisou não só da anuência, mas da participação direta de escalões da política e da justiça que não se constrangeram ao ficarem expostos diante da mídia de do público como ficaram, porque o objetivo primeiro era fazer acreditar, para que depois pudesse se usar a mesma fonte da mesma forma e com a mesma força para que tudo fosse desacreditado.

Não há inocentes nesse jogo, de nenhum lado. Só há uns que são mais espertos que os outros, e uns que são mais idiotas que o normal. Mas nenhum inocente.

Estamos vivendo o meio do epílogo de uma farsa, vivenciando uma guerra de facções contra a justiça, e para isso vale fazer o povo acreditar e desacreditar nas manobras mais incríveis da maneira mais crível possível, até que isso chegue ao STF e toda a delação e provas possam ser canceladas e descartadas, inclusive essa última sequência de gravações que citam o nome de 4 ministros do próprio STF.

Outras farsas ainda serão inventadas para justificar ou contradizer as farsas anteriores. Ouviremos, veremos e leremos farsantes de saia, de terno e de toga dando as mais improváveis e inexplicáveis explicações como se tudo fosse apenas institucional. E eles fazem e farão isso por um simples motivo: continuam apostando que você teria escolhido a pílula vermelha lá no começo do texto e jamais teria se dado ao trabalho de prestar atenção em todo esse raciocínio. Espero que estejam errados.

 

LULA É UM INJUSTIÇADO. TEMER É UM INOCENTE. JOESLEY É UM HERÓI.

RODRIGO JANOT É UM DESPREPARADO. DELCÍDIO DO AMARAL É UM MENTIROSO. LÚCIO FUNARO É UM DESQUALIFICADO.

Esqueça tudo o que você já viu, ouviu e leu a respeito da Lava Jato.

Apague da sua memória os inúmeros depoimentos e interrogatórios de políticos, empresários e figuras mais miúdas – mas não menos importantes – que contaram em detalhes como funcionavam os diversos esquemas de desvio de dinheiro público, fosse através de desvio puro e simples ou complicadas transações envolvendo superfaturamento e propinas.

Acompanhe meu raciocínio.

Joesley Batista gravou sua nada republicana conversa com Michel Temer, revelando a consciência do presidente sobre fatos como cooptação de juiz e promotores públicos, mesada para Cunha (tem que manter isso!). Gravou também Aécio Neves, aí já numa conversa de republiqueta mesmo, pedindo dinheiro, falando bobagens como até mesmo “a gente mata o cara”, se referindo a um possível delator.

Pegou as gravações, levou para Rodrigo Janot. Junto levou a oferta de uma lista com nomes de 2000 políticos – dois mil mesmo – e barganhou sua liberdade. Rodrigo Janot denunciou Temer. A Câmara colocou a denúncia na gaveta. Janot virou bandido.

Paralelo a isso, o gangster Lúcio Funaro negociou sua delação premiada, que já está para ser homologada, agora só dependendo da boa vontade de Fachin, e dele resistir à pressão para que não homologue, ou submeta ao plenário. Funaro entrega Temer, corrobora fatos da delação de Joesley. Nesse interim a Polícia Federal descobre mais 40 gravações naquele tal gravador contestado. E Joesley aparece com mais 50 novos anexos sobre assuntos que provavelmente ele tinha esquecido.

O advogado de Temer, Antônio Cláudio Mariz, desqualifica Rodrigo Janot pelas denúncias. Desqualifica Joesley como delator. Desqualifica a credibilidade de Lúcio Funaro. Mas Joesley era amigo de Temer, caso contrário não teria sido recebido subalternamente pelo presidente da república. E Antônio Cláudio Mariz também era antes advogado de Lúcio Funaro ao mesmo tempo que era advogado de Michel Temer. E foi destituído pelo primeiro por suspeita de vazamento de informações para o segundo.

Agora surge o procurador Ivan Marx, o mesmo que não viu as pedaladas de Dilma, inocentando Lula no caso da tentativa de obstrução de justiça na tentativa de calar Nestor Cerveró, tendo este já confirmado à justiça em colaboração premiada a veracidade dos fatos. E Ivan Marx não apenas inocentou Lula como acusa Delcídio do Amaral, preso em flagrante exatamente operando a tal obstrução de justiça encabeçada por Lula e paga com dinheiro de José Carlos Bumlai.

Pegou o fio da meada?

Raquel Dodge assume a PGR em menos de 20 dias, com a benção dos 17 inquéritos de Renan no STF, com a indicação e apoio de Gilmar Mendes.

Gilmar Mendes é amigo e conselheiro de Temer e de Antônio Cláudio Mariz. Recebeu dinheiro da JBS de Joesley Batista a título de patrocínio de palestras do seu instituto, IDP, cuja receita é quase toda proveniente de contratos com o governo federal e no qual quase 60% dos professores são funcionários públicos do judiciário, portanto subordinados hierarquicamente e financeiramente à Gilmar Mendes.

Ah! Mas esquece isso tudo. São só ilações e ilações e ilações, coisa dessa mídia maldita, cheia de versões para fatos que nem existiram.

Precisamos descobrir quem está por trás disso. Eu aposto nos americanos. Começo a pensar que a única pessoa lúcida nesse país é Marilena Chauí, a primeira a perceber que Sérgio Moro é um agente da Cia. Putz! Como eu não vi isso antes? Como você não viu isso antes?

Bom sábado!

COM 250 ARTIGOS E 80 EMENDAS, EM 29 ANOS A CONSTITUIÇÃO JÁ FOI QUESTIONADA 7797 VEZES

O BRASIL PRECISA URGENTE DE UMA LEI QUE PROTEJA AS LEIS

A constituição brasileira tem 250 artigos e mais de 80 emendas em 29 anos. E o STF nesse mesmo período já julgou 7797 ADIs (Ação Direta de Inconstitucionalidade) e tem ainda em tramitação outras 1673 ADIs. Ou seja, os 250 artigos e 80 emendas já foram questionados 9470 vezes.

Dividindo-se, então, 9740 ADIs pela soma de 250 artigos + 80 emendas (=330), chegamos ao resultado de 28,69. Esse absurdo é como se a constitucionalidade de cada um dos artigos e emendas tivesse sido questionado 28,69 vezes em menos de 29 anos.

Resumo da ópera: muitos dos políticos que estão aí fizeram parte da constituinte que elaborou a carta de 1988. E a maior parte dos questionamentos ao STF através de ADIs é feito exatamente por políticos e partidos políticos.

Uma lei deveria ter por obrigação um tempo mínimo de vigência. Quem faz leis tem que ser responsabilizado pelos efeitos dela, e não beneficiado por elas, como acontece no Brasil. Basta que um grupo político ou econômico tenha interesses ou esteja em situação complicada que se faz uma nova lei, ou muda a lei, ou muda-se logo a constituição com um Emenda. Pronto.

Político com cargo eletivo continua agindo como presidente de clube de futebol, faz o que quer, e quando sai deixa o problema para o sucessor, sem vir a ser responsabilizado por isso. Está errado. Os legisladores têm que ser responsabilizados pelos efeitos das leis que fazem, e quando fazem leis que venham a causar danos aos cofres públicos, que respondam criminalmente pelo fato.

Num dado momento será preciso criar a Lei de Responsabilidade Legislativa, atribuindo responsabilidade aos legisladores e também impedindo que eles se beneficiem imediatamente das leis que fazem. Desta forma nenhum político poderia se beneficiar da criação ou da mudança de uma lei que o beneficie. Para estes, mesmo que votem uma nova lei, toda a tramitação de qualquer processo em qualquer instância, valerá a legislação anterior.

O STF não está sendo competente para cumprir a tarefa que lhe cabe. É bom os cidadãos começarem a se preocupar com isso.

UM ANO SEM DILMA. MAS COM TEMER.

MESMO COM A RECUPERAÇÃO DA ECONOMIA, O PAÍS SÓ ANDA PARA TRÁS

O estágio degradante das instituições brasileiras, e também do povo como instrumento de mudança, chegou ao ponto de preferirmos o ladrão à incompetente, pelo simples motivo de que além de incompetente ela também era ladra.

De fato, comemoramos um ano sem Dilma, mas ainda com Dilma.

Dilma Rousseff teve seus direitos políticos preservados duas vezes. Na primeira, pelas mãos de Renan Calheiros e Ricardo Lewandowski, a constituição foi rasgada, ao vivo e a cores, via satélite, para quem quisesse assistir. Fatiaram uma lei tratando pão com ovo como se fosse pão ou ovo. Dividiram uma lei indivisível. E ficou por isso mesmo. O STF guardião da constituição fez que não era com ele.

Na segunda ocasião, pelas mãos grandes de Gilmar Mendes no julgamento da cassação da chapa Dilma/Temer. Ali, mais uma vez, ao vivo e a cores, via satélite, para quem quisesse assistir, a constituição não foi rasgada, porque ela sequer foi considerada. Como num bom tribunal bolivariano e autoritário, Gilmar Mendes fez a lei e manteve Temer no governo e Dilma com seus direitos políticos. O STF, nada.

O que mais se pode comemorar sem Dilma, na verdade, nem é por ela, mas pelo fato do PT ter sido tirado do poder. Como resultado disso o governo passou a trabalhar pela economia, enquanto na era petista a economia trabalhava para o partido e seus aliados, políticos e empresários, não para o governo.

Não podemos comemorar ainda uma denúncia da PGR contra Dilma Rousseff. O mais perto que ela chegou da justiça até agora foi como testemunha de companheiros, ocasiões nas quais aproveitou para mentir da mesma maneira descarada que faz para qualquer um que lhe pergunte qualquer coisa, especialidade dela. Até chora quando é preciso.

Também não dá para comemorar que ela tenha sumido da mídia e nos poupado de sua imagem, voz e discursos mentirosos e raciocínios desconexos. A mídia, seja ela qual for, adora Dilma, e dá a ela espaço para expor todas as sóbrias alucinações que nem o melhor dos alucinógenos seria capaz de provocar. Dilma dá audiência.

Nos livramos ainda de ter que sustentar isso tudo. Continuamos pagando todos os confortos e deslocamentos que a transloucada deseja. E quando não somos nós que pagamos, como jatinhos por exemplo, aparece o partido ou algum outro maluco que pague, sabe-se com que dinheiro e com qual interesse.

Dilma Rousseff continua falando o que bem entende, mesmo que a gente nem sempre entenda. Dando palpites na política, na economia, criando desconfortos, estimulando a polarização, tentando criar desestabilização política e econômica, sempre acompanhando e defendendo investigados, réus e condenados, ditaduras e tiranos como Nicolás Maduro. E faz isso ao vivo e a cores, via satélite, para quem quiser ver.

E para finalizar a obra, como comemorar um ano sem Dilma Rousseff com Michel Temer? Como não lembrar que o ladrão que ficou no lugar dela, que foi eleito com ela, pediu votos para ela, pediram votos juntos em vários palanques, apesar de competente na economia é um dos maiores assaltantes do estado brasileiro, do povo brasileiro?

É bom pararmos para pensar antes de soltar foguetes.

Um ano sem Dilma. Um ano com Temer. Será que ele dura o ano e pouco que ainda tem pela frente? Será que o Brasil aguenta?

 

 

TEMER VAI À CHINA E DEIXA RECADO PARA JANOT: BEIJING, BEIJING, TCHAU, TCHAU!

TEMER PÕE MAIA NA SUA CADEIRA E DEIXA A CÂMARA POR CONTA DE FUFUCA

Não está escrito errado não. É Fufuca o nome do deputado federal que comandará a Câmara dos Deputados enquanto Rodrigo Maia faz a vez de presidente na ausência de Temer. André Fufuca, 28 anos, primeiro mandato de deputado federal. E sabe o que isso significa? Absolutamente nada.

Na cadeira da presidência da república, o deputado Rodrigo Maia nada será além de presidente da Câmara dos Deputados ocupando o cargo interinamente, sem capacidade, poder ou competência para algo mais do que isso.

E na cadeira da presidência da Câmara dos Deputados, o deputado André Fufuca estará apenas enriquecendo seu currículo e tendo os holofotes e câmeras apontados em sua direção. De fato, ele estará no controle remoto de Rodrigo Maia, que estará no controle remoto de Michel Temer. Portanto, não importam as pautas, tudo correrá como o governo quer que corra, mesmo com Fufuca. E se não correr não será Fufuca o culpado.

Temer vai à China no rastro de João Doria. E tal qual Doria vai lá arrancar o que puder e trazer o que conseguir. Está especialmente interessado em colocar os chineses na Eletrobrás, vender para eles o que quiserem comprar. E por que não aeroportos também? Quem sabe estradas interessem? Vai telefonia? Petróleo? Gás? Correios?

Antes era o Brasil que comprava barato da China. Hoje nós é que estamos vendendo barato para eles.

Não tenho nada contra privatizar, acho inclusive uma pena que não se tenha privatizado mais antes. Mas tenho tudo contra a forma como estão sendo feitas estas privatizações, mesmo que o fato de não colocar mais dinheiro público nelas justifique. O problema maior é que o país terá benefícios no longo prazo, e o dinheiro arrecadado com essas privatizações não produzirá nenhum efeito imediato, será usado na rolagem da dívida do governo.

No que diz respeito ao BRICS, que é o pano de fundo dessa viagem de Temer, provavelmente Rússia, Índia, China e até a África do Sul devem estar se perguntando o que Temer foi fazer lá. O Brasil está para o BRICS assim como a Venezuela está para o Mercosul, só está lá. Eles não nos olham como uma ditadura, mas nos enxergam do mesmo tamanho.

O mais importante mesmo dessa viagem é que Michel Temer não estará aqui quando Rodrigo Janot apresentar a segunda denúncia contra ele. Como só volta dia 6, terá um bom tempo para ensaiar o discurso e a defesa, além de fugir do batalhão de repórteres que sempre o perseguem em território nacional.

Convenhamos, coisa de baixinho, né?

 

O BRASIL É O QUE O POVO BRASILEIRO QUER QUE ELE SEJA

SÓ O CAOS MUDARIA ISSO. O PROBLEMA É QUE NO BRASIL ATÉ O CAOS É DE MÁ QUALIDADE.

Certas horas é difícil escrever sobre um tema sobre o qual eu falo com alguma insistência. Não se trata do que falar, mas do como falar.

Acredito que tudo o que alguém que escreve alguma coisa deseja é que essa alguma seja lida, entendida, e que possa fazer alguma diferença na vida desse alguém. Novamente, não é o que falar, mas o como falar. Quem escreve tem por objetivo sensibilizar o leitor através da narrativa que faz dos fatos. E fica complicado quando as pessoas ficam insensíveis e anestesiadas a tudo que acontece.

Depois de três anos de seguida exposição das quase profundezas (ainda pode ir mais fundo) da corrupção no Brasil, o brasileiro não se escandaliza mais com nada. Aliás, a palavra escândalo caiu em desuso. O brasileiro não consegue associar escândalo com corrupção porque não classifica esse crime como algo relacionado à moral. O povo brasileiro não associa lei com moral. Moral continua sendo tomar chifre, botar chifre, coisa ligada a honra, nada a ver com lei. Roubar, desviar, superfaturar, o que isso tem a ver com moral?

Eu poderia me referir às esvaziadas manifestações de ontem, absolutamente sem liderança, sem foco, sem objetivo, marcada com 3 meses de antecedência por um motivo que foi mudando ao longo do tempo até ninguém saber qual era. Ir lá fazer o que? Protestar contra o que? Contra quem?

Lula continua solto. Renan continua solto. Aécio continua solto. Dilma continua solta. Mantega continua solto. Gabrielli continua solto. Luciano Coutinho continua solto. Gleisi Hoffmann continua solta. Paulo Bernardo continua solto. Romero Jucá continua solto. Collor continua solto. Sarney jamais será preso.

Dois terços do Senado e mais da metade da Câmara dos Deputados respondem a inquéritos e processos que vão de crime ambiental a estupro.

O deputado federal Osmar Bertoldi, do Paraná, preso há 8 meses por lesão corporal, estupro e cárcere privado, entre outros, ganhou liberdade porque era o primeiro suplente do deputado Ricardo Barros, que se licenciou para assumir o Ministério da Saúde. Saiu do cumprimento de pena por estupro para assumir o cargo de deputado federal, propor leis, votar em leis. Isso faz algum sentido?

Esse é um caso absurdo, mas não menos absurdo que os crimes de peculato, improbidade administrativa, desvio de verbas, fraude em licitação, crime contra o patrimônio, recebimento de propina, concussão e outros tantos a que tantos prefeitos, vereadores, deputados estaduais, deputados federais, governadores, senadores e até o próprio presidente da república respondem.

Não serão eles a mudar as coisas. Muito menos o Supremo Tribunal Federal que, na figura de alguns ministros, tendo Gilmar Mendes à frente, dão seguidas demonstrações de que estão lá para assegurar que as coisas continuem como estão. Ou melhor, que voltem a ficar mais fácil para os corruptos, como a provável revisão contra a prisão após condenação em Segunda Instância que não demorará a ser – forçosamente – pautada pela ministra Carmem Lúcia.

Não contem com intervenção militar exceto num caos extremado onde uma guerra civil se estabeleça nas ruas; pelo menos formalmente, porque se o Rio de Janeiro não vive uma pequena guerra civil fica difícil nominar o que acontece por lá.

Não existe mágica. Não existe salvador da pátria, nem haverá um em 2018. Seja quem for o eleito, por mais bem-intencionado que queira ser, encontrará um país sucateado que só os próximos 50 anos poderão consertar. E quem está no poder vai tirar o que conseguir enquanto o final de 2018 não chegar. Com tudo o que já se viu na mídia, diariamente somos brindados com cenas de flagrante de suborno, como o caso da funcionária do Incra nessa semana.

O Brasil permanecerá assim enquanto o povo brasileiro assim quiser. Não haverá mudança vinda de um povo que não muda.