Arquivo da tag: #Maduro

OPOSIÇÃO NA VENEZUELA NÃO QUER INVASÃO MILITAR. DE NINGUÉM.

ANTES DE QUERER ALGUMA COISA PARA ALGUÉM É PRECISO SABER SE ESSE ALGUÉM QUER ESSA COISA

Lutar pela democracia através de canais democráticos é, além de justo, o caminho óbvio. Mas nem tudo que é óbvio é possível, e nem tudo que é possível é democrático.

Enquanto o povo brasileiro se nega ir às ruas contra governos e políticos corruptos e parte dele sonha com uma intervenção militar caseira, 125 civis venezuelanos já morreram pelas mãos dos militares e milicianos venezuelanos em pouco mais de quatro meses. E agora a oposição solta uma declaração na qual repudia qualquer possibilidade de intervenção militar estrangeira.

É bom que prestem atenção nisso os brasileiros que tem gasto seu tempo sendo solidários aos hermanos venezuelanos com o entendimento de que só uma ação militar vai ajudá-los. Acredito até que ajudaria, uma vez que eles estão sendo vítimas das suas próprias forças armadas e pelas milícias formadas por venezuelanos e cubanos. Mas não é o que eles querem.

Essa declaração do MUD, coalizão de 30 partidos de oposição à Nicolás Maduro, reafirma a contradição entre o comportamento de venezuelanos e brasileiros. Nós, brasileiros, não vamos às ruas e ansiamos por um salvador da pátria que resolva todos os nossos problemas sem que precisemos “sujar as mãos”. Os venezuelanos estão nas ruas, e rejeitam salvadores da pátria que pensem em defendê-los por caminhos que não sejam através da democracia exercida diretamente pelo povo, sujando suas mãos para que isso aconteça.

O povo brasileiro não entendeu ainda o poder que tem, principalmente levando-se em consideração que aqui não existem militares ou milicianos impedindo que nos manifestemos livre e democraticamente. Aliás, pelo contrário, talvez seja esse o comportamento que faça com que nossos militares possam vir a apoiar o povo.

Recentemente questionei sobre o que realmente pode ser feito para ajudar a Venezuela (leia aqui), tratando das limitações que essa ajuda teria. Mas nem eu mesmo me atentei que um dos limites é a própria vontade do povo venezuelano que se faz representar pela coalização opositora.

Quando se trata do país dos outros, podemos até entender o que eles querem, mas precisamos entender também como é que eles querem que aconteça.

Nem tudo que é bom para o Brasil é bom para a Venezuela. E vice-versa.

Penso que faz mais sentido dedicarmos tempo e ação para a encontrar uma solução para o nosso país; e deixar que eles resolvam do seu próprio jeito a bagunça na qual se enfiaram. Aliás, diante do caos que vivem os venezuelanos, eles nem conseguem enxergar que temos problemas, muito menos que podemos ter as soluções para os problemas dele.

VENEZUELA ÀS VOLTAS COM NICOLÁS MADURO. NÓS COM LULA PODRE.

AMBOS FRUTOS DO MESMO SOCIALISMO DECADENTE E DESTRUIDOR DE SOCIEDADES.

As bravatas de Lula são tão previsíveis que qualquer militante de esquerda seria capaz de pegar um microfone e “ser” Lula. Ele não fala novidades, não faz piadas novas e quando prevê o futuro só o faz ameaçando os adversários e opositores, como quem imagina que ainda pode meter medo em alguém.

A tal caravana por 25 cidades do interior é uma tentativa desesperada de criar factoides que possam sugerir que ele ainda é querido pelo povo, e que a justiça não quer é deixá-lo ser candidato porque ganharia de qualquer opositor. Mas, para que a tal caravana se realize com os filminhos pré-agendados com a militância, ele precisa da escolta dos movimentos sociais.

MST, MTST e outras gangues do gênero não apenas acompanharão Lula. Tal qual logística de guerra, os alcoviteiros lulistas chegarão antes em cada cidade para preparar terreno para a chegada do messias das trevas. A intenção é pura e simplesmente amedrontar qualquer opositor ou movimento nesse sentido, além de identificar almas penadas dispostas e interessadas em sair na foto. E nos filminhos.

Lula queria ter sido o que Maduro é hoje, declaradamente, um ditador. Mas aqui é o Brasil e, felizmente, mesmo com todo o apoio que recebeu durante seus governos, Lula jamais esteve perto disso, e apodreceu antes, sem conseguir deixar sementes capazes de germinar, porque sementes estragadas não brotam, e se ameaçam, não sobrevivem.

Para desconsolo de quem quer um Brasil melhor, talvez Lula não venha a ser preso, porque sua podridão contaminou todos os cantos e recantos institucionais da república. Entretanto, jamais conseguirá usufruir de tudo que roubou, e nem mesmo conseguirá andar pelas ruas novamente sem prescindir dos seguranças e das escoltas feitas pela corja que sobrevive dos fungos que tudo que é podre produz.

Lula não tem mais coragem de apoiar Maduro publicamente, e reza todos os dias para que Maduro pare de falar seu nome em público. E reza mais ainda para que a imprensa divulgue cada vez menos o que Maduro falar. Atrevo-me a dizer que nessa altura do campeonato Lula até torce para que Maduro caia logo. Nem que seja de maduro.

O ponto é que, seja como for, o fim de ambos está sacramentado, e mais dia ou menos dia, os dois serão apenas páginas manchadas nas histórias dos dois países.

E o fato é que todo fruto novo começa verde. Quem sabe oliva?

UMA TERÇA-FEIRA COMO ESSA SÓ FOI POSSÍVEL POR UM MOTIVO: O POVO NÃO FAZ NADA.

O QUE ESPERAR DA QUARTA, DA QUINTA, DA SEXTA…

A terça-feira não chegou ao fim ainda, mas o fim da picada chegou para valer nessa terça-feira.

Michel Temer põe Rodrigo Janot em suspeição no STF. E entre os que decidem sobre acatar ou não acatar o pedido do presidente, estão os suspeitíssimos Gilmar Mendes, Antônio Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes, além das manobras suspeitas que ocorrem por lá. E o povo não fala nada.

A comissão de ética e decoro parlamentar do Senado simplesmente passou por cima da palhaçada protagonizada pelas senadoras marmitex, além de dar palco para o ridículo Lindbergh Farias que provavelmente não passaria nem num exame antidrops, o que dirá um exame antidoping. Além das cenas ridículas já de costume, faltou com a ética e com o decoro, exatamente na comissão que cuida de tal. E o povo não faz nada.

Na Câmara dos Deputados, tal qual o esgoto no Brasil, correm a céu aberto propostas para a criação do fundo bilionário para financiar campanhas eleitorais utilizando-se para isso as vergonhosas verbas das emendas parlamentares, o que em tradução livre significa menos dinheiro para a saúde, para a educação, para saneamento básico… E o povo não faz nada.

Os sindicatos que, a princípio, ficam sem as verbas do imposto sindical a partir de novembro, já articulam a criação de uma “Contribuição Negocial” para cobrir o rombo. E a desfaçatez é tão grande que, pelas regras propostas, bastará que 10% dos sindicalizados compareçam em uma assembleia e aprovem a o pagamento da nova contribuição para que todos os outros trabalhadores sejam obrigados a pagar também, concordando ou não. E o novo imposto, que hoje é de 4,5%, pode chegar a 13%. E o povo não faz nada.

Continuando o périplo do dia, a equipe econômica do governo acena com aumento da alíquota do imposto de rende, passando a faixa mais alta dos atuais 27,5% para 35%. Ou seja, quem ganha R$ 10.000,00 terá retida a “bagatela” de R$ 3.500,00 na boca do caixa do governo e ensaiar estripulias e malabarismos para ter direito à devolução do imposto retido. E o povo não faz nada.

E para concluir, Stédile informa em alto e bom tom, em cadeia nacional, que “está enviando um exército para a Venezuela” a fim de ajudar Nicolas Maduro a matar o povo venezuelano. Como o MST, teoricamente, não pode matar aqui, vai matar na Venezuela. Depois foge para cá de volta, ninguém vai ser punido, nem extraditado e fica o dito pelo Benedito. E o povo não faz nada.

O Brasil é ridículo. E o povo não faz nada.

 

GLEISI HOFFMANN É BI. SUSPEITAVA DESDE O PRINCÍPIO.

VAI SE TRANSFORMAR EM RÉ PELA SEGUNDA VEZ NO STF.

Narizinho está a caminho de se tornar ré pela segunda vez no STF. A Polícia Federal concluiu a investigação que consta de depoimentos e provas de que a senadora petista recebeu propina. Segundo o laudo que a PF entregará ao ministério público, ela cometeu crime eleitoral, corrupção passiva qualificada e lavagem de dinheiro.

Ela e seu marido, o também petista Paulo Bernardo, ex-ministro do planejamento, já são réus em outra ação por terem recebido propina do Petrolão. Ele chegou a ser preso, mas por obra e graça de, advinha, Dias Tóffoli, foi solto na concessão de um habeas corpus de ofício, quando o juiz concede a liberdade porque quer, e pronto acabou.

Mais do que uma senadora enrolada, Gleisi Hoffmann é presidente nacional do PT, o partido dos enrolados, dos enroladores e dos rolos.

Para não ser presa, Gleisi Hoffmann precisará desesperadamente de um mandato em 2018, e já estuda cenários que envolvem até uma candidatura a deputada estadual, ou o absurdo de transferir seu domicílio eleitoral para outro estado onde teria chance de ser pelo menos deputada federal. Resta saber se o povo está de acordo com essas ideias, especialmente o do Paraná.

Gleisi Hoffmann tem declarado apoio ao ditador Nicolas Maduro, ignorando que todo o povo da Venezuela está nas ruas porque o chavismo, tal qual o lulismo, quebrou o país. As pessoas carecem das coisas mais básicas para a subsistência humana, como comida e remédios. Gleisi chama o povo com fome de “extrema direita”.

Outra distorção típica de petistas e de Gleisi Hoffmann é a inversão do ônus da prova. Ela chama Maduro de democrata e defende a recente convocação da constituinte bolivariana como um ato de democracia pura. E afirma que a ação da justiça brasileira é uma ditadura, tentando, com isso, engrossar o coro dos que pregam uma nova constituição para o Brasil como meio de burlar a justiça.

Gleisi será bi. Será tri, talvez tetra, quem sabe até pena ou hexa como seu encantador de asnos. Da nossa parte, fica a torcida para que os novos títulos sejam comemorados por ela na cadeia, onde, provavelmente, será a vedete do pavilhão, dizem que adoram loirinhas por lá.

GLEISI HOFFMANN REAFIRMA APOIO À MADURO. E DAÍ?

GLEISI HOFFMANN REAFIRMA APOIO À MADURO. E DAÍ?

NÓS SOMOS BRASILEIROS. SOMOS PACÍFICOS. NENHUM PARTIDO POLÍTICO É CAPAZ DE DESPERTAR ESSE TIPO DE ÓDIO NO POVO BRASILEIRO. SÓ DESPERTAM O ÓDIO CONTRA SI MESMOS, INCLUSIVE DE SEUS SIMPATIZANTES

A mídia e as redes sociais ficam em polvorosa quando PT, PCdoB e seus fãs clubes apoiam abertamente o regime de Nicolás Maduro.

Isso só serve para gerar notícia, vender jornal e conquistar atenção diante de televisões, rádios, computadores e smartphones.

O que o PT, o PCdoB e asseclas pensam não faz nenhuma diferença no mundo, mesmo que esses partidos ainda pudessem, de verdade, representar 25% do eleitorado brasileiro.

Imaginar que o apoio desses partidos possa, de fato, influenciar o pensamento nacional a respeito do governo venezuelano é desprezar a evidência de quem nem os petistas ou pcdobistas mais inflamados das redes sociais tem coragem de declarar e demonstrar apoio ao que acontece na Venezuela, excetuando-se os fanáticos e idiotizados.

Talvez eu esteja enganado, e espero estar, e esse apoio incondicional ao absurdo sirva, sim, para ratificar ao povo brasileiro as quão incoerentes, arbitrários, corruptos e comunistas são os defensores desse pretenso ditador, que já não esconde mais do mundo suas práticas genocidas, pela fome ou pela violência.

Democracia para a esquerda é como a frase da Canção do Exílio, de Gonçalves Dias “As aves que aqui gorjeiam, não gorjeiam como lá”.

Para Gleise Hoffmann, PT, PCdoB e coadjuvantes, democracia no Brasil é eleições diretas já, rasgando mais uma vez a constituição para dar uma chance de um bandido voltar ao poder. Lá democracia é a dissolução arbitrária do parlamento, a convocação de uma constituinte falsa e o assassinato de dezenas de venezuelanos pelas forças do governo, muitas ao vivo e a cores para o mundo.

Que PT, PCdoB e restolhos que lhes acompanham continuem reafirmando seu apoio incondicional ao governo de Nicolás Maduro. E que o povo brasileiro, de todos os partidos, inclusive de esquerda, observe e se certifique que essas pessoas defendem a matança indiscriminada de pessoas pelo crime do pensamento.

Somos brasileiros. O que acontece na Venezuela não tem nada a ver com ideologia. Tem a ver com corrupção, que quebrou o país, assim como está quebrando o nosso.

Deixa a Gleisi apoiar quem ela quiser.

NÃO QUEREMOS SER UMA VENEZUELA

NÃO QUEREMOS SER UMA VENEZUELA

QUANDO REPRODUZIRMOS NO BRASIL O ATO DESSA FOTO DA VENEZUELA, NAO HAVERÁ GUARDAS BOLIVARIANOS PARA IMPEDIR, PROVAVELMENTE NEM GUARDAS. E SE APARECEREM É MAIS PROVÁVEL QUE SEJA PARA AJUDAR.

Antes de tudo, é preciso reconhecer que a esquerda venezuelana foi mais eficiente que a brasileira.

Ao contrário do PT que surrupiava clandestinamente a Petrobrás (até para financiar a própria esquerda venezuelana), Hugo Chaves tomou as chaves do caixa da PDVSA nas mãos e usou o dinheiro do petróleo como bem quis.

Enquanto o PT cooptava empresários e setores da sociedade, trocando favores e favorecimentos por propina, Hugo Chaves confrontava os setores produtivos, expropriava negócios e propriedades estrangeiras, e, simplesmente, eliminava seus opositores.

Se o PT buscava os holofotes e a admiração da mídia, convivia com ela em espúrias parcerias ideológicas e financeiras, Chaves ocupava militarmente cada veículo de comunicação que era contra o seu regime e incorporava seu sinal e editorial a uma cadeia de comunicação que só servia ao regime.

Em relação aos militares, Chaves efetivamente assumiu o comando das forças armadas, militar que era. Enquanto o PT deu-se por satisfeito em ser institucionalmente o comandante chefe dos militares brasileiros, e aproveitou sua autoridade para fazer uma guerrinha particular com seus comandados, com a tal Comissão da Verdade. Chaves não perdia tempo com isso.

Chaves era um verdadeiro líder de esquerda, da esquerda burra, que segue a mesma cartilha leninista, maoísta, hitleriana, castrista, de dizer o que o povo quer ouvir e fazer apenas o que quer fazer, pelo domínio pela força.

Lula nunca foi um líder de esquerda. Lula é e sempre foi um pilantra, oportunista. José Dirceu, o mentor intelectual de Lula é a mesma coisa, talvez pior por ser inteligente, coisa que o outro definitivamente não é. Dirceu sonhou ser Fidel, e se tivesse sucedido Lula o Brasil teria experimentado um governo de esquerda. O de Lula não foi. E o de Dilma, da esquerda burra ela só implantou o burra.

Hugo Chaves foi quase uma unanimidade na Venezuela. Lula nunca unanimidade no Brasil.

O que nos diferencia da situação venezuelana é que provavelmente despertamos antes, e Lula já recebia oposição desde a sua reeleição.

O mensalão foi o primeiro despertar de que havia algo errado. Mas insistimos no erro. E depois com Dilma. E com Dilma de novo. Mas, golpe ou não golpe, ou meio golpe, ou pretenso golpe, ela foi apeada da presidência usando a constituição – fatiada, é verdade, mas a favor dela e não do Brasil.

O povo venezuelano, demorou demais para se dar conta do tamanho do buraco em que tinha se enfiado, e agora está pagando o preço para sair dele. E por lá, Maduro não fatia nem rasga a constituição, ele elimina a velha e faz uma nova, a constituição do ex-trocador de ônibus.

Nós estamos espertos. E podemos e ficaremos ainda mais espertos. Por isso não seremos nunca o que a Venezuela é hoje. Mas, oremos, vigiemos e atentemos!