Arquivo da tag: #LulaCondenado

A maior farsa da história do Brasil está tendo apoio da justiça

A maior farsa da história do Brasil está tendo apoio da justiçaO julgamento do recurso de Lula em segunda instância contra a sentença de 9 anos e meio dada por Sérgio Moro será uma farsa gigantesca, mesmo que o tribunal mantenha a condenação por 3 a 0.

Canta-se e decanta-se uma infinidade de possibilidades e teorias de conspiração por todos os lodos e meios. E a pior parte disso é que uma infinidade delas pode estar certa. Brasileiros, brasileiras, tudo pode acontecer. Aliás, muita coisa vai acontecer.

Quantos brasileiros comuns tiveram um julgamento transmitido pelo Youtube?

A quantos brasileiros foi reservada uma sala especial com espaço para 30 pessoas para acompanhar um julgamento qualquer? Alguém duvida dos cafezinhos, biscoitinhos, água e sinal de wi-fi para essas celebridades?

Quantos foram os senadores, deputados e até membros de tribunais que foram acompanhar o julgamento de um cidadão comum? Quantos políticos foram vistos nas audiências de Fernandinho Beira Mar?

Tudo atende à grande farsa armada pelo PT para transformar o julgamento dessa apelação – e insisto, Lula já foi julgado, o que estará em julgamento é a qualidadedo processo que Sérgio Moro conduziu e resultou na condenação de 9 anos e meio. Qualquer coisa fora desse roteiro é um quesito dessa farsa.

Lula precisa de um fato político que justifique as atitudes que pode ter, incluída aí uma fuga do Brasil para algum país tão republiqueta quanto o nosso e que aceite dar asilo a um condenado pela justiça, tal qual o próprio Lula fez com Cesare Batisti.

Uma tese que anda em alta é a hipótese de os desembargadores mudarem a tipificação dos crimes imputados a Lula de maneira que ele seria condenado a uma pena inferior e isso o livraria da cadeia. Como se ele não tivesse outra dúzia de processos que produzirão os mesmos problemas. Pelo menos mais duas sentenças antes das eleições.

Tanto quanto Lula, o PT, mais especialmente os petistas que correm atrás de reeleição, precisam do fato político e de Lula solto e com chance de voltar ao poder, e para isso farão de tudo, a começar por Porto Alegre, cuja previsão é uma repetição dos atos em Brasília quando colocaram fogo em prédios públicos, carros e transformaram a esplanada dos ministérios num campo de batalha.

Quando disse que seria preciso matar gente para condenar e prender Lula, Gleisi Hoffmann deu a senha aos membros da CUT, MST, MTST e os prováveis black blocks, avisando que o vale tudo está aberto. E se é de uma morte que eles precisam, mesmo que não seja proporcionada pelos responsáveis pela segurança da cidade, uma morte acontecerá, ou mais, e eles mesmo não hesitarão e arrumar.

Quando o TRF4 se prontifica a transmitir o julgamento pelo Youtube, ele abre um canal para que o Brasil inteiro possa acompanhar a farsa, pois simultaneamente a grande mídia estará dando as informações dos acontecimentos do lado externo do prédio, e a ligação da provável condenação com o clima das ruas venderá a todos a ideia de que uma multidão indignada com uma injustiça ainda estará apanhando da polícia.

A justiça é conivente com a farsa. A mídia é conivente com a farsa. E não há, nem no STJ e nem no STF, um ministro que tenha “culhão” de impedir que essa palhaçada seja transmitida via internet. Muito menos no ministério público.

Pessoalmente, ainda aposto na fuga, mas estou aberto a todas as teorias conspiratórias que possam fazer sentido, porque quando se refere a Lula, por mais absurda que uma teoria possa ser, ela tem que ser considerada.

Leia também

A maior farsa da história do Brasil está tendo apoio da justiça

Podem se preparar. Lula, condenado pelo TRF4, vai fugir do Brasil

O enredo está sendo escrito e desenvolvido há meses. A última cena será no TRF4.

O PT emitiu nota na data de hoje, 05 de janeiro de 2018, dizendo que a Lava Jato está sendo conduzia de fora do país, como se fosse um movimento orquestrado pela extrema direita internacional, e usando para isso o acordo de US$ 3 bilhões que a Petrobrás fechou em Nova York para encerrar a ação movida pelos investidores americanos que foram roubados pelo PT.

Para engrossar a pressão em cima do TRF4, entidades sindicais internacionais também emitiram notas e deram depoimentos para a CUT se solidarizando com Lula e tentando reforçar a ideia de que ele está sendo perseguido pela justiça para não participar das eleições de 2018.

Toda a narrativa construída em torno dos processos que envolvem Lula, da 10ª Vara de Curitiba ao TRF4 em Porto Alegre, tentam desconstruir a ideia de que a Lava Jato trata de combate à corrupção, atribuindo a ela uma ação de perseguição política e de destruição do Brasil, como se fossem a justiça, o Ministério Público e a Polícia Federal os responsáveis pela grave crise econômica que arrebentou o Brasil.

O esquema de corrupção revelado pela Lava Jato, apoiado por centenas, se não milhares, de provas e delações de quem pagou, dizendo para quem e como pagou, esclarecendo onde o dinheiro foi pago e gasto, não pode deixar dúvidas exceto em quem tem caráter duvidoso, o que, coincidência ou não, é comum à maioria dos petistas e partidos que apoiaram tudo isso, incluindo o, agora, de novo, MDB, do atual presidente da república, também denunciado por corrupção.

O que Lula e seus discípulos querem é convencer a opinião pública de que a condenação do TRF4, que parece certa, é a cartada final para tirar Lula do processo eleitoral, ao qual, no mínimo por bom senso, ele não deveria querer nem participar. E, sendo condenado, o máximo que o pajé petista conseguirá é ganhar tempo com embargos infringentes. E esse tempo pode ser curto se a condenação se der por 3 a 0, ou se alongar por meses a fio se a condenação for por um placar de 2 a 1. Mas dificilmente a sentença será revertida por algum tribunal superior, o que levará Lula para a cadeia.

Então para que correr o risco de ser preso?

Com a história da carochinha sendo vendida para a população que ainda vê em Lula o “pai do Brasil”, uma fuga com obtenção de asilo político em alguma republiqueta ou ditadura amiga, além de deixá-lo longe da prisão ainda lhe dá a opção de posar de vítima e ficar enchendo o saco à distância. Mas, mais do que isso, uma fuga dessas dará a Lula uma oportunidade que ele não está tendo mais no Brasil, que é usufruir do dinheiro que surrupiou dos cofres públicos.

Senhores desembargadores do TRF4, um conselho. Seja qual for o placar da condenação de Lula, tirem-lhe os passaportes, ainda que isso não seja suficiente para que ele fuja, até sem barba e vestido de freira se necessário, até a nado pelo Rio Paraná se for a solução.

Mas, o que, na minha opinião, deve mesmo chamar a atenção do TRF4 é que Lula já informou uma viagem para a Etiópia, onde participará de um evento organizado pela FAO, Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, na qual, convenhamos, ele não tem nada para falar.

E por que o TRF4 deve estar atento a essa viagem?

O certo e justo é Lula ter a prisão decretada pelo TRF4 no dia do julgamento, e o argumento da possibilidade de fuga é absolutamente plausível, pois tratar-se-á (Temer ficaria orgulhoso de mim) de clara possibilidade de fuga de um condenado em segunda instância e que é réu em mais 5 processos e investigado em outros inquéritos.

Tomara que os Desembargadores do TRF4 calem a minha boca.

Leia também

2017, o ano que só vai acabar em 30 de outubro de 2018

Lula condenou o Brasil. É o sistema de justiça reversa.

Dê no que der o julgamento de Lula dia 24 de janeiro de 2018, a nossa pena, como nação, ainda demorará muito a ser paga.

Quanto mais rápido Lula for julgado e, se possível, preso, mais rápido começaremos a sair do buraco, porque quando (se) ele for, muitos outros irão atrás dele, e teremos uma sinalização clara de que podemos ter uma esperança sincera de um novo Brasil, e não uma mera esperança por ser ela a última que morre.

Os crimes que cometemos como cidadãos mereciam ser punidos. Fomos negligentes contumazes eleição após eleição. A maioria de nós não se lembra em que votou para deputado estadual, deputado federal e senador na última eleição. E muitos não se lembram nem em quem votaram para vereador, eleição que aconteceu há dois anos.

E por que não se lembram? Porque votaram sem a menor convicção do que estavam fazendo. As pessoas associam candidatos ao seu clube de coração, a religião que ele pratica, o segmento que ele representa, mas não fazem a menor ideia no histórico do cidadão em quem estão votando.

Lula é um caso à parte nesse processo, porque ele foi uma ilusão criada ao longo de um tempo, partindo dos militares com a ajuda do então chefe da Casa Civil que viu nele o carisma necessário para se criar uma terceira via política em contraposição à Arena e ao MDB, então únicos partidos políticos do Brasil. E deu no que deu.

Sim, temos que pagar a pena não apenas pelo Lula, pelo também por Sarney, Collor, FHC e Dilma, ainda que não tenhamos votado em nenhum deles. E a pena é porque deixamos que as coisas acontecessem à nossa revelia, ao mesmo tempo que nós mesmos elegíamos e reelegíamos nossos bandidos favoritos. Eu mesmo fui eleitor de Aécio Neves até 2014. Um otário de Aécio Neves até 2014. Não mais. Eu gostava de muitas coisas do PSDB, e mais do enfrentamento que ele fazia ao PT.

Nosso julgamento também tem data marcada. Acontecerá daqui a 9 meses e 22 dias, mais precisamente no dia 2 de outubro de 2018, quando acontecerá o primeiro turno das eleições. Essa escolha crucial nos levará ao veredito 28 dias depois, no dia 30 de outubro, quando acontecerá o segundo turno. E é daí que sairá nosso futuro.

Por enquanto, penso que temos muito a temer do que a comemorar. Muita coisa está sendo mudada e ajeitada, tanto no Congresso Nacional quanto nos Tribunais Superiores para que nada mude demais, ou de preferência que nada mude. E Lula agradece o empenho dos parlamentares e togas que já não se envergonham mais quando envergonham o país diante do mundo.

A ideia de criar foro privilegiado para ex-presidentes está de vento em popa nos corredores do executivo, do legislativo e do judiciário. Uma manobra para mudar o sistema de governo já circula pelas mãos de deputados e senadores na forma de proposta que, se possível, seja feito por proposta de emenda constitucional, a famosa PEC, sem que tenha o aval da população, que já disse não duas vezes, em 1963 e 1993.

O projeto do fim do foro privilegiado foi para a Câmara dos Deputados com uma pegadinha que ninguém revelou quando foi para as redes sociais comemorar a aprovação no Senado. O projeto aprovado veta a prisão após condenação em segunda instância. O condenado poderá recorrer aos céus antes de ser preso. E foi por isso que os senadores aprovaram. Agora ir para a primeira instância é benefício, porque ele comece a recorrer a partir de lá, e não será preso nunca. E Lula agradece mais uma vez.

Se não nos condenarmos novamente em 2018, e aí será condenação à pena perpétua, o Brasil poderá se imaginar um país com sérios problemas resolvidos em cerca de 40 a 80 anos, não menos do que isso. Se não criarmos cultura de honestidade ficaremos enxugando gelo. Não sou estudioso do assunto, mas penso que cultura leva pelo menos 3 ou 4 gerações para começar a pegar e surtir efeitos nas gerações posteriores.

E se formos aplicados e investirmos pesadamente em educação, poderemos reduzir a pena, como se faz nos presídios. Ao invés de um dia a menos para cada livro lido e comentado, um dia a menos para cada criança alfabetizada na idade correta, um dia a menos para cada paciente atendido no SUS, um dia a menos para cada acidente reduzido nas estradas, um dia a menos para cada homicídio evitado…

O caminho para a absolvição é possível. Só precisaremos escolher certos aqueles que irão advogar por nós nos parlamentos e nos executivos em 2018. E fazendo isso, tenho certeza, Lula não vai agradecer.

Leia também

Semipresidencialismo. Querem te transformar em semieleitor.

No fim das contas, os únicos condenados pelo STF em 2017 fomos nós

Não dá para não falar de Lula e José Dirceu

A liberdade de José Dirceu, preso pelo mensalão e já condenado em segunda instância pela Lava Jato, é provavelmente o maior exemplo da impunidade nesse país, da qual Lula também esperar se aproveitar.

Falemos de Lula. O bafafá em torno da marcação do julgamento de Lula seria o mesmo em qualquer momento. Fosse Março, Junho, Setembro. O problema não é a data, mas acontecer o julgamento. E não só nós, mas ele mesmo e seus comparsas esperam o mesmo veredito de culpado, que todo mundo sabe que ele é.

Será preso? Não sei, e muitas vezes nem acredito nisso. Muitos são os ritos e instrumentos que podem levar essa decisão bem para frente, além de que, mesmo sem instrumentos “honestos” o STF possa dar uma ajudinha mudando a jurisprudência, ou o Congresso Nacional aprovando e enchendo de penduricalhos como a criação de foro privilegiado para ex-presidentes.

O projeto do senador Álvaro Dias já veio do senado com a impossibilidade de prisão após segunda instância, ou seja, se assim aprovado, ninguém será preso até o último recurso possível. E para ajudar, na reunião da Unasul, Michel Temer falou sobre a criação de um tribunal da Unasul, apontando o mesmo como um tribunal revisor, uma última instância a quem se poderia recorrer antes de uma condenação definitiva.

As caravanas de Lula Pelo Brasil poderiam e deveriam ser chamadas de Caravanas do Ódio Pelo Brasil. O petista destilou ódio por onde passou, incitou o ódio, a revolta. Rebaixou o sistema judiciário a manual de instrução, daqueles que vem com eletroeletrônicos, geladeiras, máquinas de lavar, e que a maioria das pessoas ignoram.

Lula precisa ser parado, calado, caso contrário, o enfrentamento em 2018 pode não ficar apenas na retórica do morto-vivo. O “exército do Stédile” só está esperando a senha. E, talvez, a senha tenha sido dada.

A declaração de José Dirceu, convocando uma revolução em Porto Alegre no dia do julgamento de Lula não é retórica. O protagonista de sambinha de fim de semana deveria estar preso, calado. Ele é reincidente, esteve preso pelo mesmo tipo de crime que foi novamente condenado. Por que? Estão esperando o STF mudar a jurisprudência antes de prendê-lo? Ou estão com medo de ser desmoralizados pelo mesmo STF com algum habeas corpus de ofício?

José Dirceu é bandido. Pode não ser o líder, o chefe, mas se não for o mentor intelectual de todos os crimes cometidos contra a administração pública e estatais, é um dos principais. Participante ativo de tudo de ruim que vemos nesse país desde 1964, foi um dos responsáveis por desencadear o movimento que levou a decretação do AI5 pelo regime militar, quando soltava bombas, sequestrava embaixadores e roubava bancos.

Não há muito o que esperar de bom no clima político em 2018. Penso que o nível será ainda mais baixo do que foi em 2014. Poucos não terão telhado de vidro, mas mesmo assim as pedras virão de todos os lados, e salve-se quem puder.

José Dirceu tem que ser preso. Lula tem que ser condenado. Todos têm que ser condenados e presos pelo que fizeram, não importa o partido, não importa o cargo, não importa a lista de bons serviços prestados ao país um dia.

Ninguém quer viver “numa Venezuela”. Mas parece que só quando começar a faltar papel higiênico as pessoas entenderão o que realmente se passa nesse país.

Leia também

Prisão após segunda instância ou prisão à segura distância?

Luiz Inácio Lula da Silva. Não poderemos mais ter eleições no Brasil sem ele?

A HISTÓRIA DO LULA SEM CABEÇA

 

NO FUTURO AINDA PERGUNTARÃO COMO FOI QUE TANTOS ACREDITARAM NESSA HISTÓRIA POR TANTO TEMPO

A lenda original da Mula Sem Cabeça trata do castigo recebido por uma mulher por ter fornicado com um padre dentro de uma igreja. Ela se transforma num fantasma na forma de uma mula que fogo no lugar da cabeça e assombra as pessoas.

Não é tão difícil de adaptar para o Lula Sem Cabeça, um político a caminho do castigo por ter fornicado, além da Rose Noronha, com todos os empreiteiros, empresários e políticos corruptos desse país, e de outros países.

Hoje, muito provavelmente, no lugar daquele Lula falastrão do primeiro depoimento, muito provavelmente Sérgio Moro verá um Lula Sem Cabeça, que pouco deverá responder e se o fizer será com chispas de fogo, saindo especialmente pelos olhos.

Lula Sem Cabeça, que nunca soube de nada, que nunca viu nada, que nunca falou nada, que nunca ouviu nada, hoje terá que desmentir aquele que foi seu braço direito durante seu primeiro governo, responsável pela interlocução com o mercado financeiro e que foi o garantidor da manutenção da política econômica iniciada por FHC.

Antônio Palocci não é alguém que Lula desmentirá com facilidade. Todo ataque que Lula fizer a Palocci estará fazendo a si mesmo, e sabe disso.

O interrogatório promete ser tenso e ainda mais comprometedor para Lula, um dos motivos pelo qual nem mesmo o PT teve coragem de tentar insuflar sua míngua militância. E se tivermos sorte, o brilhantino advogado Cristiano Zanin irá colaborar para que a audiência seja bastante tumultuada, e o clima o pior possível.

A verdade é que Lula Sem Cabeça já não assombra mais ninguém, muito menos o juiz Sérgio Moro. Solte ele quantos fogos quiser soltar pelas ventas, sua realidade se encaminha para mais uma condenação, a segunda das muitas que ainda há de receber.

A lenda da Mula Sem Cabeça muito provavelmente ainda sobreviverá por muitos anos, ensinada nas escolas como um mito do folclore brasileiro. Já a de Lula Sem Cabeça jamais será lenda, porque o mito já está morto. A única semelhança que ainda poderá relacionar uma história com a outra será mesmo o fato de ambas serem inacreditáveis!

HOJE OS DEPUTADOS VOTARÃO A REFORMA POLÍTICA KINDER OVO.

E PREPAREM-SE PARA AS SURPRESINHAS, NA MAIORIA DAS VEZES SÃO DECEPCIONANTES.

Todo mundo sabe que dificilmente uma votação desse gênero, envolvendo tantos interesses diferentes – menos o do povo – chegue ao seu final exatamente como foi proposta, mesmo que a proposição em si já tenha sido recheada de absurdos.

O que veremos hoje é a ganância versus democracia. O que veremos hoje é a exposição da face mais suja dos políticos brasileiros que tentam legalizar aquilo que antes era roubado, desviado ou simplesmente apropriado por todos na forma de propinas e venda de emendas e consciências.

Aliás, se é algo que falta à maioria dos deputados é a tal da consciência. A única coisa da qual são absolutamente conscientes é que precisam continuar no poder, uns para continuar roubando, outros para não ir para a cadeia.

A reforma política não é uma reforma, e sim a tentativa de uma nova forma de passar a perna nos cidadãos, e isso inclui tudo o que está na proposta, da apropriação espúria de dinheiro público que resolveria o problema da saúde pública às mudanças no sistema eleitoral que visa garantir que quem está continua, e roubando.

O povo brasileiro não saiu às ruas, não protestou com a veemência necessária para fazer os parlamentares sentirem pelo menos arrepios. Apenas usou as redes sociais como se fossem ruas e avenidas, e como se isso fosse suficiente para pôr medo nesses bandidos que nos últimos tempos só legislam em causa própria, seja qual for a matéria. Apenas se perguntam “o que eu vou ganhar nisso?”.

Para os atuais políticos, especialmente os encrencados, muito encrencados e encrencados para caramba, o povo é aquele detalhezinho chato da democracia, aquela pedrinha no sapato que incomoda, mas não impede de seguir a caminhada. E se tudo der certo, superado o trecho complicado do caminho, basta sacudir o sapato que a pedrinha cai no chão e se junta as outras milhares de pedrinhas que nunca incomodaram ninguém.

E já que ninguém se manifestou com a força e com o poder que tem, que fiquem atentos às surpresinhas que essa reforma kinder ovo promete, como, por exemplo, reaparecer a tal emenda Lula e outras tantas que em nada interessam à população, mas que garantem sossego para muitos políticos com medo de ver o sol nascer quadrado.

FUNDO PARTIDÁRIO DE 3,6 BILHÕES SERÁ VOTADO AMANHÃ NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

E DIFICLIMENTE DEIXARÁ DE SER APROVADO. CUIDADO COM A EMENDA LULA. ELES ADORAM SURPRESINHAS.

A despeito do que pensa a sociedade – que na verdade só pensa e não age – o deputado Rodrigo Maia pautou a votação da PEC da Reforma Política para esta quarta-feira 16/08.

Além do fundo democrático que democratiza o dinheiro do povo na mão dos políticos, será votada também a emenda que introduz o Distritão, um modelo que mistura o que funciona mais ou menos com o que não funciona de jeito nenhum e que ainda inclui a tal lista fechada no meio. E isso se não surgirem surpresas de última hora, como ressuscitar a tal Emenda Lula. Nunca se sabe.

Caro leitor, cara leitora, os políticos não estão nem aí para o que eu ou você pensamos.

Para os políticos brasileiros, cargo sem mordomia não é cargo. Tem que ter gabinete com dezenas de assessores, carro oficial, residência oficial, gordas verbas de gabinete, altos salários e jetons, e muita impunidade para gastar aquele dinheiro que é retirado à força dos nossos salários e dos impostos que pagamos no preço de tudo que consumimos.

Vivemos ainda num mundo cheio de palácios oficiais que custam uma fortuna para serem mantidos, práticas que se repetem em todos os estados e em muitos municípios do Brasil, uma herança maldita da época do império que parece registrada no DNA dos políticos brasileiros.

Vamos pagar mais essa conta e deveríamos fazer calados, uma vez que não nos damos a ousadia de usar nossas vozes para evitar com a mesma contundência que usamos para reclamar depois que a coisa não tem mais retorno.

Insisto que as redes sociais são um palco maravilhoso para exposição de ideias e um magnífico palanque para discursos reclamatórios, mas não será elas não têm o poder de mudar o país sozinhas. O problema do Brasil é real e não virtual. Fosse virtual a gente poderia apenas deletar, excluir, bloquear ou dar mute nos políticos e problemas, mas não funciona assim.

A recusa do brasileiro em assumir para si a responsabilidade de se manifestar determinantemente contra as manobras dos políticos brasileiros só aumenta a conta que mais cedo o mais tarde – e parece que será cada vez mais cedo – chegará para ser paga.

Muitos de nós, pela idade, não chegarão a ver um Brasil rico e próspero, pelo tempo que se levará para atingir o país e a sociedade atingirem esse nível. Por outro lado, enquanto estivermos por aqui, pagaremos cada centavo das mordomias e do desperdício de dinheiro público que nos mantém amarrados no subdesenvolvimento.

Mesmo tendo lido e concordado com o que escrevi, todos levantarão amanhã e sairão normalmente para trabalhar, darão ao governo no mínimo 25% de todo real que gastarem, acompanharão as notícias do dia e se manifestarão como frases do tipo “esse governo é ladrão”, “políticos são todos ladrões”, “eles só sabem roubar”, falarão disso tudo nas redes socais, e irão dormir novamente para trabalhar no dia seguinte.

Amanhã é a reforma política, daqui a pouco a reforma da previdência, e é bom você se esquecer daquela reforma que queria fazer na sua casa, ela nunca estará na pauta do congresso, a menos que você more numa dessas suntuosas residências oficias.

Mas acho que isso tudo é cisma minha, bobagem. Afinal, brasileiro sempre dá um jeitinho, né?

OPOSIÇÃO NA VENEZUELA NÃO QUER INVASÃO MILITAR. DE NINGUÉM.

ANTES DE QUERER ALGUMA COISA PARA ALGUÉM É PRECISO SABER SE ESSE ALGUÉM QUER ESSA COISA

Lutar pela democracia através de canais democráticos é, além de justo, o caminho óbvio. Mas nem tudo que é óbvio é possível, e nem tudo que é possível é democrático.

Enquanto o povo brasileiro se nega ir às ruas contra governos e políticos corruptos e parte dele sonha com uma intervenção militar caseira, 125 civis venezuelanos já morreram pelas mãos dos militares e milicianos venezuelanos em pouco mais de quatro meses. E agora a oposição solta uma declaração na qual repudia qualquer possibilidade de intervenção militar estrangeira.

É bom que prestem atenção nisso os brasileiros que tem gasto seu tempo sendo solidários aos hermanos venezuelanos com o entendimento de que só uma ação militar vai ajudá-los. Acredito até que ajudaria, uma vez que eles estão sendo vítimas das suas próprias forças armadas e pelas milícias formadas por venezuelanos e cubanos. Mas não é o que eles querem.

Essa declaração do MUD, coalizão de 30 partidos de oposição à Nicolás Maduro, reafirma a contradição entre o comportamento de venezuelanos e brasileiros. Nós, brasileiros, não vamos às ruas e ansiamos por um salvador da pátria que resolva todos os nossos problemas sem que precisemos “sujar as mãos”. Os venezuelanos estão nas ruas, e rejeitam salvadores da pátria que pensem em defendê-los por caminhos que não sejam através da democracia exercida diretamente pelo povo, sujando suas mãos para que isso aconteça.

O povo brasileiro não entendeu ainda o poder que tem, principalmente levando-se em consideração que aqui não existem militares ou milicianos impedindo que nos manifestemos livre e democraticamente. Aliás, pelo contrário, talvez seja esse o comportamento que faça com que nossos militares possam vir a apoiar o povo.

Recentemente questionei sobre o que realmente pode ser feito para ajudar a Venezuela (leia aqui), tratando das limitações que essa ajuda teria. Mas nem eu mesmo me atentei que um dos limites é a própria vontade do povo venezuelano que se faz representar pela coalização opositora.

Quando se trata do país dos outros, podemos até entender o que eles querem, mas precisamos entender também como é que eles querem que aconteça.

Nem tudo que é bom para o Brasil é bom para a Venezuela. E vice-versa.

Penso que faz mais sentido dedicarmos tempo e ação para a encontrar uma solução para o nosso país; e deixar que eles resolvam do seu próprio jeito a bagunça na qual se enfiaram. Aliás, diante do caos que vivem os venezuelanos, eles nem conseguem enxergar que temos problemas, muito menos que podemos ter as soluções para os problemas dele.

A REFORMA POLÍTICA É UMA SOPA DE PEDRA

AH! VOCÊ NÃO SABE O QUE É UMA SOPA DE PEDRA?

Reza a lenda que um morador de uma vila se encontrava ajoelhado diante de um caldeirão sob uma fogueira. Dentro havia apenas água e uma pedra grande.

O primeiro vizinho que viu aquela cena questionou o que fazia ali o rapaz e ele disse solenemente: sopa de pedra. Espantado, o vizinho afirmou que jamais tinha visto uma sopa de pedra, quando o rapaz disse que é muito boa, mas que ficaria melhor se tivesse ali também umas batatas. Motivado pela curiosidade, o vizinho correu e providenciou as batatas.

Estavam, então, os dois ali diante do caldeirão quando um terceiro vizinho se interessou pela cena, repetiu os questionamentos do anterior e recebeu de volta a informação que se além da pedra e das batatas tivessem também umas cenouras, ficaria ainda melhor. E ele se encarregou de ir providenciar as cenouras.

E então outros vizinhos foram chegando, entendendo o que ali acontecia e informados que agregando azeite, sal, cebolas e mandioca a sopa ficaria perfeita. E cada um deu sua contribuição e ficaram ali todos diante do caldeirão, ansiosos pela sopa.

Depois de algum tempo, enfim, o dono do caldeirão informou que a sopa finalmente estava pronta. Mergulhou então uma colher no caldeirão, retirou de dentro a pedra e jogou fora.

Mais curiosos ainda os vizinhos então perguntaram: mas você jogou a pedra fora? E o dono do caldeirão respondeu: tem problema não, a pedra era só para dar um gostinho.

A reforma política brasileira é uma sopa de pedra.

VENEZUELA ÀS VOLTAS COM NICOLÁS MADURO. NÓS COM LULA PODRE.

AMBOS FRUTOS DO MESMO SOCIALISMO DECADENTE E DESTRUIDOR DE SOCIEDADES.

As bravatas de Lula são tão previsíveis que qualquer militante de esquerda seria capaz de pegar um microfone e “ser” Lula. Ele não fala novidades, não faz piadas novas e quando prevê o futuro só o faz ameaçando os adversários e opositores, como quem imagina que ainda pode meter medo em alguém.

A tal caravana por 25 cidades do interior é uma tentativa desesperada de criar factoides que possam sugerir que ele ainda é querido pelo povo, e que a justiça não quer é deixá-lo ser candidato porque ganharia de qualquer opositor. Mas, para que a tal caravana se realize com os filminhos pré-agendados com a militância, ele precisa da escolta dos movimentos sociais.

MST, MTST e outras gangues do gênero não apenas acompanharão Lula. Tal qual logística de guerra, os alcoviteiros lulistas chegarão antes em cada cidade para preparar terreno para a chegada do messias das trevas. A intenção é pura e simplesmente amedrontar qualquer opositor ou movimento nesse sentido, além de identificar almas penadas dispostas e interessadas em sair na foto. E nos filminhos.

Lula queria ter sido o que Maduro é hoje, declaradamente, um ditador. Mas aqui é o Brasil e, felizmente, mesmo com todo o apoio que recebeu durante seus governos, Lula jamais esteve perto disso, e apodreceu antes, sem conseguir deixar sementes capazes de germinar, porque sementes estragadas não brotam, e se ameaçam, não sobrevivem.

Para desconsolo de quem quer um Brasil melhor, talvez Lula não venha a ser preso, porque sua podridão contaminou todos os cantos e recantos institucionais da república. Entretanto, jamais conseguirá usufruir de tudo que roubou, e nem mesmo conseguirá andar pelas ruas novamente sem prescindir dos seguranças e das escoltas feitas pela corja que sobrevive dos fungos que tudo que é podre produz.

Lula não tem mais coragem de apoiar Maduro publicamente, e reza todos os dias para que Maduro pare de falar seu nome em público. E reza mais ainda para que a imprensa divulgue cada vez menos o que Maduro falar. Atrevo-me a dizer que nessa altura do campeonato Lula até torce para que Maduro caia logo. Nem que seja de maduro.

O ponto é que, seja como for, o fim de ambos está sacramentado, e mais dia ou menos dia, os dois serão apenas páginas manchadas nas histórias dos dois países.

E o fato é que todo fruto novo começa verde. Quem sabe oliva?