0

Brasil: esqueça o futuro! Somos cada dia mais o país do passado.

Brasil: esqueça o futuro! Somos cada dia mais o país do passado.

Uma das frases mais emblemáticas sobre o Brasil é que somos o país do futuro. Um futuro que pareceu num momento estar se transformando em presente, mas que a cada dia tem mais cara de passado.

“Estamos perdidos há muito tempo. O País perdeu a inteligência a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada. Os caráteres corrompidos. A prática da vida tem por única direção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido. Não há instituição que não seja escarnecida. Ninguém se respeita. Não há nenhuma solidariedade entre os cidadãos. Ninguém crê na honestidade dos homens públicos. Alguns agiotas felizes exploram. A classe média abate-se, progressivamente, na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos são abandonados a uma rotina dormente. O Estado é considerado na sua ação fiscal com um ladrão e tratado como um inimigo. A certeza deste rebaixamento invadiu todas as consciências. Diz-se por toda parte que o País está perdido.”

 


“Você está Prestes a Descobrir: Como Alguns Empreendedores Saíram De Quase Falidos Para Atrair Milhares de Clientes, Fechar Vendas e Serem Reconhecidos Utilizando um Sistema de Marketing Digital Pouco Conhecido Pela Maioria dos Empreendedores…”


 

Esta afirmação não é minha, nem dizia respeito ao Brasil quando foi escrita. Trata-se de Eça de Queiroz, escritor português referindo-se a Portugal no distante ano de 1871. Porém, mais atual impossível. Somos mais portugueses do que nunca. Nossos “descobridores” plantaram a semente de uma erva daninha que se alastrou pelo nosso território continental, e, ao que tudo indica, é impossível de ser exterminada.

A Operação Lava Jato foi a primeira esperança de nos vermos livres dessa herança – essa sim – maldita que, desde nosso descobrimento, corrói o futuro de todos nós. Foi assim com nossos bisavós, avós, pais, todos apostando que o futuro do Brasil um dia chegaria. Mas a sina insiste em se repetir. Parece que chegamos a olhar para ele, imaginar o quão próximo ele estaria dos nosso filhos e netos. Mas os acontecimentos levam a crer que ainda não foi dessa vez.

Nossa capacidade de produzir retrocessos é infinitamente maior do que a de produzir avanços. Nesse contexto, a Lava Jato foi uma ousadia que desafiou o passado e o presente, mas, infelizmente, não foi capaz de desafiar o futuro e fazer com que ele se estabelecesse entre nós. E tenho que repetir Eça de Queiroz quando diz que ” Não há princípio que não seja desmentido. Não há instituição que não seja escarnecida. Ninguém se respeita. Não há nenhuma solidariedade entre os cidadãos. Ninguém crê na honestidade dos homens públicos“.

Muitos dirão que sou pessimista, mas estou sendo mais realista que o Rei. A reação do sistema é a prova disso. As facções criminosas que imperam no Brasil reagiram a ponto de cooptar a esperança, que já não é mais a última que morre, ela agora está morrendo lentamente diante dos nossos olhos, dia após dia. E mais uma vez me remetendo à Eça de Queiroz, ” A classe média abate-se, progressivamente, na imbecilidade e na inércia”. Continuamos acreditando que super heróis surgirão em nossa defesa e assim não fazemos nada além de chamá-los, mesmo quando vemos que os poucos que poderiam sê-los estão sendo vitimados pela kryptonita da corrupção.

Falta-nos coragem para o enfrentamento necessário. Falta-nos lucidez para discernir entre a ilusão e a realidade. Sobra-nos paixão e otimismo vão. Mas paixões são mais dadas a loucuras do que a atitudes sensatas, e otimismo só produz resultado se nos propulsiona para alguma coisa.

O Brasil é cada dia mais o país do passado, das oligarquias sarneyzianas, da justiça que só é justa para quem pode pagar por ela, do povo que insiste em repetir que na próxima eleição será diferente, e, enquanto isso, trabalha bovinamente gerando os impostos necessários para manter a boa vida de quem o explora.

Não soubemos aproveitar a oportunidade que a Lava Jato deu ao Brasil. E não temos a menor ideia do que fazer para enfrentar quem está acabando com ela. E são muitos, mesmo que nós sejamos muitos mais. E aí me remeto a Renato Russo quando disse: “Quem me dera ao menos uma vez, explicar o que ninguém consegue entender: O que aconteceu ainda está por vir
E o futuro não é mais como era antigamente
“.

Você pode gostar de ler também:

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.