LULA É UM INJUSTIÇADO. TEMER É UM INOCENTE. JOESLEY É UM HERÓI.

RODRIGO JANOT É UM DESPREPARADO. DELCÍDIO DO AMARAL É UM MENTIROSO. LÚCIO FUNARO É UM DESQUALIFICADO.

Esqueça tudo o que você já viu, ouviu e leu a respeito da Lava Jato.

Apague da sua memória os inúmeros depoimentos e interrogatórios de políticos, empresários e figuras mais miúdas – mas não menos importantes – que contaram em detalhes como funcionavam os diversos esquemas de desvio de dinheiro público, fosse através de desvio puro e simples ou complicadas transações envolvendo superfaturamento e propinas.

Acompanhe meu raciocínio.

Joesley Batista gravou sua nada republicana conversa com Michel Temer, revelando a consciência do presidente sobre fatos como cooptação de juiz e promotores públicos, mesada para Cunha (tem que manter isso!). Gravou também Aécio Neves, aí já numa conversa de republiqueta mesmo, pedindo dinheiro, falando bobagens como até mesmo “a gente mata o cara”, se referindo a um possível delator.

Pegou as gravações, levou para Rodrigo Janot. Junto levou a oferta de uma lista com nomes de 2000 políticos – dois mil mesmo – e barganhou sua liberdade. Rodrigo Janot denunciou Temer. A Câmara colocou a denúncia na gaveta. Janot virou bandido.

Paralelo a isso, o gangster Lúcio Funaro negociou sua delação premiada, que já está para ser homologada, agora só dependendo da boa vontade de Fachin, e dele resistir à pressão para que não homologue, ou submeta ao plenário. Funaro entrega Temer, corrobora fatos da delação de Joesley. Nesse interim a Polícia Federal descobre mais 40 gravações naquele tal gravador contestado. E Joesley aparece com mais 50 novos anexos sobre assuntos que provavelmente ele tinha esquecido.

O advogado de Temer, Antônio Cláudio Mariz, desqualifica Rodrigo Janot pelas denúncias. Desqualifica Joesley como delator. Desqualifica a credibilidade de Lúcio Funaro. Mas Joesley era amigo de Temer, caso contrário não teria sido recebido subalternamente pelo presidente da república. E Antônio Cláudio Mariz também era antes advogado de Lúcio Funaro ao mesmo tempo que era advogado de Michel Temer. E foi destituído pelo primeiro por suspeita de vazamento de informações para o segundo.

Agora surge o procurador Ivan Marx, o mesmo que não viu as pedaladas de Dilma, inocentando Lula no caso da tentativa de obstrução de justiça na tentativa de calar Nestor Cerveró, tendo este já confirmado à justiça em colaboração premiada a veracidade dos fatos. E Ivan Marx não apenas inocentou Lula como acusa Delcídio do Amaral, preso em flagrante exatamente operando a tal obstrução de justiça encabeçada por Lula e paga com dinheiro de José Carlos Bumlai.

Pegou o fio da meada?

Raquel Dodge assume a PGR em menos de 20 dias, com a benção dos 17 inquéritos de Renan no STF, com a indicação e apoio de Gilmar Mendes.

Gilmar Mendes é amigo e conselheiro de Temer e de Antônio Cláudio Mariz. Recebeu dinheiro da JBS de Joesley Batista a título de patrocínio de palestras do seu instituto, IDP, cuja receita é quase toda proveniente de contratos com o governo federal e no qual quase 60% dos professores são funcionários públicos do judiciário, portanto subordinados hierarquicamente e financeiramente à Gilmar Mendes.

Ah! Mas esquece isso tudo. São só ilações e ilações e ilações, coisa dessa mídia maldita, cheia de versões para fatos que nem existiram.

Precisamos descobrir quem está por trás disso. Eu aposto nos americanos. Começo a pensar que a única pessoa lúcida nesse país é Marilena Chauí, a primeira a perceber que Sérgio Moro é um agente da Cia. Putz! Como eu não vi isso antes? Como você não viu isso antes?

Bom sábado!

Deixe um comentário