0

Inaugurada a República Monocrática de Gilmar Mendes

Inaugurada a República Monocrática de Gilmar MendesSe existem sérias críticas ao custo e à lentidão do poder judiciário brasileiro, Gilmar Mendes é a solução para todas elas, inclusive nos recessos e ausências.

Para que gastar tanto dinheiro com primeira instância? Para que cinco TRFs compostos de pencas de ministros? Para que um Supremo Tribunal de Justiça tão dispendioso e inoperante? Para que um Supremo Tribunal Federal com 11 ministros? Para que Conselho Nacional de Justiça?

O Brasil precisa apenas de Gilmar Mendes. É primeiro ministro do STF, é primeiro ministro do Brasil, é primeiro ministro do Ministério da Justiça, é primeiro ministro do Ministério da Defesa.

Não importa o que decidem os juizecos que se encontram tanto abaixo dele quanto a seu lado. São apenas custo para o estado e para os contribuintes. Basta Gilmar Mendes.

Pensem, caros cidadãos, o que seria do Brasil se não existisse Gilmar Mendes? O país estaria em convulsão social com tantos corruptos presos. Imaginem se Lula estivesse preso. Imaginem se Temer, O Popular, estivesse preso? Imaginem o caos em que estaríamos mergulhados!

Mas fomos salvos por Gilmar Mendes, e nossa redenção virá com o semipresidencialismo, quando, de fato e de direito, ele será o primeiro primeiro-ministro de uma nova era de resplendor do Brasil diante do mundo e do povo brasileiro. Sentiremos muito orgulho.

Descobriremos que o Brasil só atingiu a maturidade democrática graças a Lula, que devolveu a esperança ao povo brasileiro, e quem sem ele jamais teríamos uma nova república em pleno funcionamento e desenvolvimento.

Teremos que reconhecer que foi graças a Aécio Neves e Eduardo Cunha que tivemos uma reforma política ao trazerem à tona as dificuldades de se fazer política no Brasil. Vamos agradecer muito também a Renan Calheiros e Ricardo Lewandowski pelo exemplo de que a constituição pode ser flexível quando uma ex-presidente comete pequenos erros.

Mas nenhum dele, repito, nenhum dele, se compara a Gilmar Mendes. Há até boatos de que a OAB pretende apresentar uma PEC para mudar o nome do habeas corpus por habeas gilmarmendeses, pela clareza e assertividade com que ele usa tal instrumento jurídico.

Devemos nos orgulhar de ter um cidadão de tal entrega ao dever cívico, que não se importa de atender o presidente da república fora da agenda, nem mesmo que isso aconteça altas horas da noite e avence pela madrugada. O que seria de Temer sem Gilmar Mendes? O que seria de nós?

Pessoalmente sinto-me orgulhoso de viver na República Monocrática de Gilmar Mendes, e espero, sinceramente, que ele elimine toda a desnecessária hierarquia de um sistema judiciário composto de centenas de juízes incompetentes, incapazes de julgar um divórcio e que nada acrescentam na vida de 200 milhões de cidadãos. Não precisamos deles, temos Gilmar Mendes.

Então, me confraternizo com todos os novos cidadãos gilmarmendenses, porque a grande pátria Gilmar Mendes é o nosso lar, revigorado pelo frescor da liderança de alguém que saber como conduzir um país como o nosso.

Cidadãos de bem, cuidem-se! Este é o começo de uma nova Era.

O Brasil, já era.

Leia também

Semipresidencialismo. Querem te transformar em semieleitor.

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.