0

Renan Calheiros não cabe mais na república. Menos ainda com poder.

Renan Calheiros não cabe mais na república. Menos ainda com poder.

Qualquer poder além do cargo de senador, o que já é um absurdo. Nem presidente de comissão Renan poderia ser. Acontece que a presidência do Senado Federal e do Congresso Nacional não é qualquer poder. O presidente, entre outras coisas, continua sendo uma das únicas figuras com foro privilegiado, e Renan Calheiros sabe disso melhor do que qualquer um de nós.

Mas o Brasil não pode estar condenado a ficar nas mãos de gente do nível de Renan Calheiros. Muitos senadores, antigos e nem tão novatos e novatos, alegam que Renan tem experiência para o cargo, mas não pode existir experiência que justifique a persistência e a insistência em algo que todo mundo sabe que vai terminar mal.

O fisiologismo de Renan Calheiros se confunde com sua falta de caráter. Renan adere a qualquer tese e negocia qualquer coisa que o mantenha fora da mira da Polícia Federal. Inquéritos sobre Renan Calheiros tem o péssimo hábito de prescrever nas gavetas de ministros do STF, e a cada ano que ele se utiliza da prerrogativa do foro privilegiado, mais tardias e difíceis ficam as conclusões dos tais inquéritos. E prescrevem.

Se formos obrigados a ver esse notório bandido pela quinta vez sentado na cadeira da presidência do senado, os progressos conquistados nas eleições de outubro estarão por conta de um senador que é investigado em 14 inquéritos no Supremo Tribunal Federal, e que estará no comando de um poder da república que deverá legislar duramente sobre temas delicados sobre crimes dos quais ele mesmo é acusado. Isso não tem nexo.

Renan Calheiros no comando do Congresso Nacional será um obstáculo imenso ao governo Jair Bolsonaro.

A imprensa tradicional tem atribuído a Renan o título de representante da velha política, mas isso é apenas uma maneira romântica de nominá-lo. Renan Calheiros é representante da pior espécie de corrupto, aquele que não quer ser punido pelo que fez e além disso quer continuar roubando. Ele representa um pensamento de que em pouco tempo tudo vai se acalmar e voltar a ser como era antes, por antes era assim mesmo. Gente que se recusa a sair do poder porque se acha dona dele, e ele se acha dono do Senado Federal. Mas não é.

As urnas expurgaram uma boa dose de corruptos cuja liberdade tem data de vencimento a expirar em breve, mas Alagoas fez questão de dar ao Brasil mais 8 anos de Renan Calheiros. Esse, aliás, é um outro grande defeito da democracia, porque um povo que consegue se sentir representado espelha uma imagem muito negativa sobre si mesmo enquanto sociedade.

Teremos que ser muito crédulos para achar que o pacote de medidas a ser proposto por Sérgio Moro para combater a corrupção passará por um senado comandado por Renan Calheiros. Teremos que ser muito ingênuos para imaginar que Bolsonaro terá vida fácil com Renan Calheiros. E teremos que ser muito inocentes para imaginar que o STF fará algo que prejudique Renan Calheiros.

Quem votou para mudar o Brasil não pode ficar calado agora. Temos que repudiar Renan Calheiros. Não cabe mais nem no papel de senador. Mas cabe bem em um uniforme, quem sabe, laranja.

Você pode gostar de ler também

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.