0

Quarta-feira Cármen Lúcia pode ir às cordas! Pesos-pesados no STF.

Quarta-feira Cármen Lúcia pode ir às cordas! Pesos-pesados no STF.É bem possível Cármen Lúcia será jogada publicamente às cordas na próxima quarta-feira. No corner, levando porrada, ela já está.

Não faltaram golpes baixos nessa pressão que a presidente do STF vem sofrendo. E vem de todos os lados. Dos ministros do STF, de políticos com e sem mandato, de gente que nem teria moral para pressioná-la, de entidades como a OAB, dos noticiários, de comentaristas políticos e palpiteiros, como eu, do povo, das redes sociais. Mas só seus pares podem levá-la ao nocaute.

Nas redes sociais encontramos memes que questionam se ela é omissa, covarde ou cúmplice. Penso que nenhuma das três e ao mesmo tempo todas elas. Defino Cármen Lúcia como a pessoa certa, no lugar certo, mas na hora errada. A ministra vive situação análoga a de um deputado federal ou senador honesto no meio da corja que domina o Brasil há décadas.

Fortes são os boatos da trama para que o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, leve para a mesa na próxima quarta-feira as duas ADCs que estão sob sua análise, e que promoverão, forçosamente, a revisão do entendimento de que um condenado em segunda instância deva iniciar o cumprimento da pena. Se Marco Aurélio Mello colocar esse assunto em mesa (que é a expressão que se usa quando um assunto é levado ao plenário sem ter sido pautado pela presidência da casa) o assunto será discutido. E aí moram as chances de Lula.

Podemos imaginar diversos motivos para que vários ministros do STF queiram mudar esse entendimento, inclusive que alguns deles possam ter rabo preso com todo o esquema de corrupção (ainda) reinante no país. Mas imaginar motivos não muda o fato de que eles querem empurrar para o cumprimento de pena a partir da confirmação da sentença pelo STJ e não pela segunda instância. Isso não só impediria a prisão de Lula, como libertaria praticamente todos os políticos, empresários e doleiros presos na Lava Jato. E acabaria, também, com a delação premiada. Ninguém ia querer delatar mais. Porque ninguém seria ou ficaria preso.

Alguém há de explicar o porquê da não aceitação do placar de 6 a 5 a favor das prisões após segunda instância e o porquê da defesa e aceitação do mesmo placar de 6 a 5 se ele for contra o início do cumprimento de pena na mesma circunstância, como é a previsão de placar caso algum ministro decida mudar seu voto, caso explícito de Gilmar Mendes que já antecipou como vai votar. E está doido pra que a quarta-feira chegue.

É inexplicável e, contraditoriamente, absolutamente visível que as declarações e ações de alguns ministros do STF tem como objetivo a manutenção da impunidade e a defesa de políticos 100% envolvidos com a corrupção que dilapida o futuro do povo brasileiro. Ministros que vivem para cima e para baixo nos jatinhos da FAB, que confabulam diuturnamente com envolvidos, investigados e réus, que mais participam de eventos, simpósios, painéis, aulas inaugurais, cerimônias de posse, encontros internacionais, ministros que são flagrados em interceptações telefônicas da Polícia Federal, autorizadas por um outro ministro do mesmo STF.

O que esperar da próxima quarta-feira se não uma luta desigual? Por que, em sã consciência, deveremos esperar que Marco Aurélio Mello mantenha a declaração que deu aos jornais de que não levaria o assunto das ADCs para o plenário? Por que acreditar que Gilmar Mendes não o está pressionando para que faça? Por que não perceber a pressão que os políticos estão fazendo nos ministros do STF para mudar a interpretação? Por que não entender que há mais do que interesse na lei quando a OAB usa sua força para pressionar o STF?

Nunca antes na história desse país o Supremo Tribunal Federal sofreu tamanha interferência, e o seu presidente tamanha pressão. Ou então há duas tristes explicações para isso: a) o STF sempre recebeu interferência; b) os presidentes anteriores sempre aceitaram as regras do jogo sem que fosse preciso fazer pressão.

Só não entrarmos nesse ringue, perderemos todos os rounds que a Lava Jato já ganhou, e todos os rounds que vieram daqui para frente.

Se o STF reverter o início do cumprimento de pena após condenação em segunda instância, o povo brasileiro terá perdido a luta. Por W.O.

Quarta-feira não será apenas o STF que dirá ao povo brasileiro para que serve. Toda a justiça federal estará sob os holofotes.

Leia também

Advogados advogam. Juízes julgam. Parlamentares fazem leis.

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.