0

QUANDO OS INSUSPEITOS SÃO MUITO SUSPEITOS

O atual momento brasileiro não permite mais afirmar se temos uma política judicializada ou um judiciário politizado.

O pedido de vista que travou a questão de ordem sobre o alcance do dito foro privilegiado, feito ontem pelo ministro Alexandre de Moraes, é daquele tipo de ação que não deixa dúvidas quanto ao seu propósito. Ele mesmo, que antes de se tornar ministro do STF deu diversas declarações, registradas em áudio e vídeo, para a mídia afirmando sua categórica posição contrária a existência do foro.

Paralelo a isso, vemos o ministro Gilmar Mendes exercendo sua influência política no que deveria ser jurídico, e usando sua influência jurídica no que deveria ser político. Em plenário, vemos um juiz autoritário, arrogante com seus pares, com a soberba de quem tem a única e incontestável razão sobre todos os fatos.

Este mesmo ministro Gilmar Mendes comanda também o TSE, onde já se acalenta a tese de uma absolvição geral em nome do bem da nação, excluindo-se dos autos, vejam, apenas a parte que traz os depoimentos dos principais financiadores e operadores do caixa 2 de Dilma e Temer.

E enquanto tudo isso acontece debaixo de nossos narizes, o guerreiro do povo brasileiro, solto por, vejam só, Gilmar Mendes, é aclamado na convenção que escolheu Gleisi Hoffmann para a presidência do PT, e, vejam só novamente, de forma indireta.

Muito suspeito. Muitos suspeitos.

 

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.