0

Posicionamento em política. Ter ou não ter? Eis a questão.

POSICIONAMENTO EM POLÍTICA. TER OU NÃO TER? EIS A QUESTÃO.A relação de muitas pessoas com política é algo muito estranho. Todo mundo tem uma preferência particular por alguma coisa. Um tipo de carro, uma cor, um sabor, um perfume, uma temperatura, um time de futebol, um tipo de bebida…

Quando se trata de política, no entanto, é grande o contingente de quem não uma preferência clara, ou não tem nenhuma preferência, tomando decisões equivocadas ou influenciadas, ou se abstendo de participar da decisão.

Partindo desse princípio, porque ficaria insatisfeito quem escolhe um Uno se prefere uma Ferrari? Porque preferiria o azul quem gosta de vermelho? Porque escolheria o salgado se prefere doce? Porque cheiraria a rosa quem prefere o lírio? Porque a para a praia se prefere a neve? Porque assistiria um jogo do Corinthians se prefere o Flamengo? Porque beberia uma vodca se preferiria vinho?

Troco provocações constantes sobre política com uma amiga, que tem posicionamento em política completamente oposta à minha. Mas eu tenho uma posição. E ela tem uma posição.

Independentemente do que pensamos a respeito de política, nós pensamos. E eu a respeito por isso. E ela me respeita.

O debate que travamos é por ideias, por ideais, por noções e visões de sociedade, de futuro.

Isso não nos torna melhores do que ninguém, mas nos torna responsáveis por querer um caminho ou outro para o nosso país, e, portanto, responsáveis também pelo governo que temos e pelo sucesso ou fracasso desse mesmo governo, pois apoiamos a sua escolha. Da mesma forma, somos responsáveis por questionar aquilo que é contrário à nossa preferência, questionar um governo oposto pela não obtenção daquilo que desejamos para a população e o país.

As pessoas precisam se posicionar politicamente, precisam escolher um lado, por aquilo que ele oferece e, principalmente, pela capacidade de realizar o que promete.

Enquanto as pessoas não se posicionarem, de fato, apostando efetivamente numa opção que represente suas vontades e suas aspirações, continuarão a andar em qualquer carro, vestir qualquer cor, comer qualquer sabor, usar qualquer perfume, não se importar se faz frio ou calor e beber qualquer tipo de bebida. E de boca fechada. Quem não usa seu direito de escolher, de participar de uma escolha, não pode ter o direito de reclamar do resultado ruim.

No máximo ir de garupa no sucesso dos outros. Se conseguir.

Leia também

Nós temos um Suprema Corte e um STJ totalmente acovardados?

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.