0

O SILÊNCIO DAS RUAS ELEGE TEMER PRESIDENTE DO BRASIL

A CÂMARA DOS DEPUTADOS FAZ O PAPEL DE ELEITOR E DE URNA

A disputa entre os que brigam entre as versões de que Temer foi ou não eleito pelo voto popular terá um fim hoje.

Mesmo você que faz parte dos 51 milhões de eleitores que não votaram em Dilma, e Temer, passará a ser responsável pelo próximo ano e meio de Michel Temer sentado na cadeira de presidente do Brasil. Pelo menos até a próxima denúncia.

A falta de povo nas ruas tem muitas explicações, que passam pela carência de uma liderança legítima e desaguam no mais puro desinteresse da população em geral com os destinos do país.

No filme War Machine, com Brad Pitt no papel de um general durão dos EUA que vai ao Afeganistão para pôr fim à guerra, uma determinada cena pode ser a explicação para muito do que acontece no mundo.

Disposto a convencer autoridades americanas a apoiar seu plano de pacificação do Afeganistão, o general Glen McMahon pede que um assessor afegão explique como funciona a política local, e diz algo assim “a população daqui não se interessa por eleições, só se interessa em saber se tem um presidente e se ele está bem de saúde, estando bem, para que mudar o presidente?”.

A falta de reação do povo brasileiro não deixa de ser igual a isso.

As ruas vazias, abandonadas aos escândalos, conchavos, gravações escandalosas, compras de votos, favorecimentos, liberação de verbas, atuação escandalosa de ministro do supremo tribunal federal na defesa de criminosos, aumento de combustíveis, aumento de impostos, aumento de eletricidade a caminho, corte de verbas da Polícia Federal.

Crimes de bilhões de reais que envolvem todas as esferas políticas no governo federal, nos governos estaduais e municipais estão deixando de ser investigados, e continuarão matando pessoas de fome, de acidentes nas estradas, por falta de atendimento médico em hospitais, por falta de saneamento básico, por falta do mais básico conceito de respeito à cidadania.

O Brasil não foi às ruas contra Temer.

O arquivamento da denúncia contra ele será o equivalente a uma eleição, legitimada pelo silêncio, e pelas mãos sujas de deputados que, apesar de tudo, continuam se vendendo como putas rampeiras em beira de estrada.

Que venha a próxima denúncia.

No Ponto Do Fato