0

O medo da esquerda é a certeza de que a máscara cairá de vez em 2019

O medo da esquerda é a certeza de que a máscara cairá de vez em 2019Do que a esquerda e o PT têm medo afinal? De Jair Bolsonaro?

Não. A esquerda e o PT não têm medo de Jair Bolsonaro. A esquerda tem medo de qualquer um que não seja da esquerda, que não compactue com sua falta de princípios, que seja contra a corrupção e que reestabeleça as verdades que ela passou 30 anos reescrevendo.

Jair Bolsonaro é o alvo. Mas seria Geraldo Alckmin, Álvaro Dias, Henrique Meirelles, Marina Silva, mesmo sendo uma petista arrependida, e até Ciro Gomes se estivesse na frente. Qualquer um que esteja na frente do PT será inimigo, pois o PT só tem amigos dentro da sua quadrilha. Quem não está nela é justiçado, como fazia a esquerda na guerrilha dos anos 1960/1970.

Até o primeiro turno o PT expressava medo nas suas ações. Depois do resultado acachapante, passou a ter pavor. Agora está em desespero. E contra o desespero ele espalha a mentira para que as pessoas tenham medo.

A desesperação que se instala no PT agora vem de duas certezas: é rejeitado por quase 70% dos eleitores e não tem como reverter isso.

Ser rejeitado por quase 70% dos eleitores significa que o discurso mentiroso do PT não para mais em pé. A sociedade brasileira rejeita o PT, reconhece no partido a responsabilidade pela desgraça econômica do Brasil, está informada sobre toda a corrupção endêmica e sistêmica praticada enquanto ele estava no poder e não aceita um candidato que é comandado por um presidiário condenado a 12 anos de prisão e no aguardo de mais uma condenação, além dos outros inquéritos que responde e pelos quais, provavelmente, também será condenado.

O medo do PT está na delação de Antônio Palocci que não demorará muito a ter seu sigilo levantado. Medo também da delação de Marcos Valério que já foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal. Medo do povo que não quer mais ver um dos seus no comando da maioria dos estados e do país, que rejeitou vários de seus candidatos à Câmara dos Deputados e ao Senado. Medo da justiça que se impõe como realidade.

Não há mais como enganar o povo brasileiro. Não há como reverter os votos decididos em Jair Bolsonaro. Resta à esquerda e ao PT então tocar o terror, mentindo, inventando, atentando contra a realidade e contra a sociedade, nem que para isso seja preciso atentar contra a vida do candidato líder de todas as pesquisas eleitorais ou fingir atentados contra si mesmo, financiando pichadores, perfis falsos em redes sociais, blogueiros e militantes que topem se passar por eleitores de Bolsonaro a fim de confundir as pessoas. E até mesmo jornalistas e jornais de grande circulação.

A matéria da Folha de São Paulo, acusando Jair Bolsonaro de fazer caixa 2 através de empresários que teriam pago mensagens disparadas no WhatsApp, não é apenas leviana, mas principalmente criminosa, pois não apresenta provas de nada. E que ninguém se assuste se a própria esgotosfera de esquerda sempre escorada no PT tenha pago em nome de terceiros – que não sabem do fato – para que isso tenha sido feito.

A empresa acusada de difundir fake news para Bolsonaro através de WhatsApp tem como sócio uma pessoa que atuou para Dilma Rousseff. Que credibilidade pode ter isso? Por si só isso já é o suficiente para que se entenda o medo do PT.

Fernando Haddad é leviano e cada dia mais mostra sua face mais suja, que o caracteriza como poste legítimo da representatividade petista.

Outra notícia vazada hoje nas redes sociais dá conta de que um pretenso atentado contra a vida de Fernando Haddad poderia ser feito a poucos dias da eleição. O vazamento teria vindo do gabinete de um deputado petista no congresso. Fake news? Pode ser. Mas impossível de ser verdade? Também pode ser. Vimos recentemente um militante petista se passando por eleitor de Bolsonaro e xingando Haddad na porta da igreja onde estavam ele e Manuela D’Avila. O suposto eleitor de Bolsonaro era ninguém menos que Florindo Gomes, integrante do PT de Ubatuba. Em dois tempos o perfil dele foi apagado das redes sociais.

Duas suásticas nazistas foram pichadas na porta da capela de São Pedro da Serra, distrito de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. Três pessoas foram identificadas por câmeras de segurança. Duas foram presas, a terceira se apresentou depois com o advogado.

Acontece que a câmera não flagrou os três pichando apenas a capela. Logo que saíram da capela, com tinta de cor diferente, eles também picharam o famigerado “elenão” em um muro próximo. Obra de Bolsonaro?

Os eleitores têm que começar a se perguntar até quando aceitarão esse tipo de política suja que ignora a expressiva e majoritária vontade de 70% do povo brasileiro. A esquerda e o PT têm medo, mas o povo não tem mais.

O Tribunal Superior Eleitoral precisa agir com rigor. Mais do que isso, com coragem de também enfrentar o terror que a esquerda e o PT tentam espalhar pelo Brasil.

O povo que representa os quase 70% de brasileiros que definitivamente rejeitam a esquerda e o PT não pode ficar esperando que alguém marque uma manifestação ou comício para mostrar seu repúdio, nem se dar por satisfeita de rebater fake news em redes sociais. Está na hora de mostrarmos que o Brasil não pertence a uma ideologia ou partido, e sim aos 208 milhões de brasileiros que optaram pela democracia e que através dela conseguirão conviver em paz, mesmo que haja divergências de opinião.

O medo da esquerda e do PT é que o seu discurso não tem mais aderência, seus representantes são rejeitados pelos eleitores que não querem mais trilhar o caminho que o Brasil andou nos últimos 30 anos.

Mas o medo mais profundo da esquerda e do PT, e por isso o desespero sem limites, a prática da política mais rasa que já se viu nesse país é que quando Jair Bolsonaro assumir a presidência em 1° de janeiro de 2019 os gays continuarão a viver normalmente, os negros continuarão a viver normalmente, nenhuma sociedade machista vai se estabelecer no país.

No dia 1° de janeiro não haverá ditadura, não haverá torturas, não haverá tanques de guerra nas ruas, e os 30% dos que ainda insistem no medo como meio de ganhar a eleição não terão mais o que dizer, não sobrará mais nem o discurso para ser sustentado.

E, então, finalmente, poderemos começar a reconstruir nesse país uma sociedade onde não haja mais “nós contra eles”, todos estarão apenas dentro do nós, sem medo.

Mas até lá o medo deles ainda tentará fazer com que os outros tenham medo também. Pelo que se viu até agora, não se sabe o limite a que podem chegar. E as justiças comum e eleitoral não podem ter medo.

Você pode gostar de ler também

A democracia deles está em risco. Querem dar o golpe do golpe em você.

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.