0

MTST, MST e Povo Sem Medo, armados e, principalmente, alarmados

MTST, MST e Povo Sem Medo, armados e, principalmente, alarmadosEnquanto as autoridades não tomam as providências devidas e cabíveis, MTST, MST, e agora o tal Povo Sem Medo, continuam fazendo das propriedades privada seus parques de diversão. E se isso já era uma afronta a lei e a ordem antes da prisão de Lula, agora é um posicionamento de confronto.

Essa ideia de que são movimentos sociais é uma grande mentira. São grupos de guerrilha armada tal qual as FARCs colombianas. Pelo andar da carruagem, inclusive, não demorará que métodos mais parecidos com o que faziam as FARCs comecem a ser utilizados. Essa semana circulou pelas redes sociais um áudio atribuído a Uryas Rocha, dirigente do MST, sugerindo o sequestro de Sérgio Moro para trocá-lo por Lula.

Hoje, durante a invasão do MTST no tríplex que era de Lula, (sim, era dele, agora embargado pela justiça e está em leilão) um dos gritos de guerra era “Ô Sérgio Moro, preste atenção, a sua casa vai virar ocupação”. Se isso não se configura numa ameaça, não sei que nome dar à cantoria. Mesmo que seja uma ameaça vazia, é uma ameaça, e feita durante um momento de afronta a lei e a ordem.

É preciso que as autoridades tomem providências para estancar essa sangria, antes que ela se transforme num banho de sangue de gente intelectualmente despreparada para entender o que está acontecendo. Mas em quais autoridades confiar? O povo não confia mais nos executivos e legislativos federal, estaduais e municipais. E muito menos no judiciário, tendo o STF como símbolo de desestabilização, ao compactuar com a desobediências as leis, até mesmo dando novas interpretações a elas, de modo que crimes graves sejam minimizados ou mesmo nem considerados crimes, como o caso das propinas comprovadamente pagas pelo caixa 1 das empreiteiras.

Quem está tentando fazer justiça nesse país, apesar do STF, são a primeira e a segunda instâncias, e é isso que deixa esses grupos armados completamente alarmados, pois a sociedade acordou em apoio aos juízes, procuradores e policiais federais que resolveram enfrentar a horda de bandidos que domina o Brasil desde a redemocratização. E esse enfrentamento vem se dando nas raias da lei, diga o que quiser quem pensa (ou nem pensar pensa) ao contrário.

Contudo, o enfrentamento do MTST, MST, Povo Sem Medo, e toda a esquerda que está tentando desestabilizar o país, com o apoio do STF, não pode ser feito à base de democracia, diplomacia ou conversa de gabinete. É preciso que as autoridades responsáveis pela manutenção da lei e da ordem hajam dentro dos princípios que esses dois conceitos exigem, combatendo de frente todos os que provocam a baderna e causam insegurança na população.

Não existe conversa possível com MTST e MST. Não há diálogo com quem não se interessa por dialogar.

A cada dia que passa, a certificação de que a prisão de Lula, aparentemente, não será temporária, dá um nó em toda a esquerda que sabe que sem Lula não há esquerda possível. Essas ações, como o ridículo acampamento diante da sede da Polícia Federal em Curitiba e essa invasão do tríplex do Guarujá, mostram que o desespero é muito maior do que a causa que eles defendem, porque não há ninguém na esquerda capaz de substituir Lula, entre outras coisas, porque não vivemos no Brasil de hoje um momento capaz de projetar alguém como aconteceu com Lula no final dos anos de 1970 e começo da década de 1980.

O MTST e o MST estão promovendo tocando o terror pelo país, invadindo propriedades rurais e urbanas, destruindo propriedades que não ocupam, invadindo fábricas e destruindo anos de pesquisas, bloqueando estradas e avenidas. Isso tudo é terrorismo. Tal qual o PCC, o Comando Vermelho e a Família do Norte, MTST e MST são facções criminosas e precisam ser combatidas como tal.

O que a população desarmada anseia é uma reviravolta nisso tudo. A vida do Brasil não anda, o país não avança, o emprego não aparece, a saúde cada dia mais precária, as escolas deformando cada vez mais a juventude e as autoridades permanecendo absolutamente omissas, em especial o STF, que quando não é omisso trabalha a favor da bandidagem.

Eles estão alarmados, e continuam armados. Cada vez que a sociedade e as autoridades policiais e judiciárias se calam, ou se omitem, eles se fortalecem, e acreditam naquela mesma revolução que Lula acredita que irá tirá-lo da cadeia e levá-lo nos braços para Brasília, quando será nomeado Lula, O Primeiro, Imperador do Brasil.
Alguém tem que acabar com essa festa. Alguém precisa botar ordem nesse galinheiro e mostrar para essa gente do MTST e do MST que esse país tem leis, tem ordem, e que as leis devem ser cumpridas, e a ordem mantida a todo custo. Não é General?

É bom que esse Povo Sem Medo comece a ficar com medo de alguma coisa.

Essa gente precisa saber que existe uma instituição que ainda é capaz de pôr medo em quem tem culpa no cartório, e cuja missão é defender o Brasil dos inimigos internos e externos.

Como costumam dizer os ministros do STF que advogam pelos bandidos no plenário, “esse tema terá que ser enfrentado” uma hora dessas. Na verdade, já passou da hora.

Você pode gostar de ler também

Lula quer uma revolução. E sonha ser resgatado por ela.

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.