0

Venezuelanos não são café vencido, Temer não pode manter isso

Michel Temer quer adotar a técnica do café vencido com os venezuelanosMichel Temer, Roraima, os venezuelanos e o factoide de carnaval. Como se ele até então não soubesse como estava a situação lá. Como se sua ida fosse realmente mudar alguma coisa no que vai acontecer. Apenas luzes, câmeras e ação. E a emenda acabou ficando pior que o soneto.

Antigamente, não posso afirmar que ainda é assim, o café que vencia nas prateleiras dos varejos era recolhido e levado de volta para a fábrica. Espertamente, ele era reaproveitado, sem que isso causasse dano a ninguém. O café vencido era diluído no café novo que seria vencido. Cada um tinha lá sua proporção, mas o sistema que eu conheci diluía 10kgs de café vencido a cada 200kgs de café novo. Assim, cada quilo de café novo tinha 5 gramas de café vencido. Ou seja, desaparecia.

Sua insatisfação pode gerar resultados. Crie um Blog agora mesmo!
Quero mais informações, ou para começar agora, clique aqui.

Espalhar os venezuelanos pelo Brasil nada mais é do que fazê-los desaparecer. É só diluir em diversas cidades até ficarem invisíveis, assim ninguém precisa ver o tamanho da incompetência e da falta de inteligência das pessoas que governam o Brasil.

Os venezuelanos estão fugindo de uma ditadura, eles não estão imigrando para o Brasil. É a falta de oportunidade que os traz ao Brasil e não a mera oportunidade de migrar para o Brasil.

O que o governo Michel Temer precisa é providenciar ajuda humanitária a essas pessoas e ajudá-las na região em que estão e não espalhando famílias que não viverão em melhores condições do que vive o povo brasileiro. Obviamente que no sentido democrático sim, mas eu falo da questão prática, que é moradia, trabalho, saúde, coisas que nem os brasileiros têm.

O Brasil não pode ser um anão diplomático também diante dos seus vizinhos.

  • Somos o maior país do continente
  • Somos a oitava economia do mundo (eu sempre acho incrível que isso seja verdade)
  • Somos o quinto maior país do mundo em extensão territorial
  • E conseguimos ser nada diante da Venezuela

Tirar os venezuelanos de Roraima é a maneira mais simples para que a situação não possa ser devidamente monitorada pela população brasileira. Enquanto eles estão reunidos num só lugar a exposição à mídia é inevitável, assim como a falta de estrutura para lidar com situações de tragédias, inclusive as humanitárias.

Estamos sendo feitos de palhaços mais uma vez e já não há mais pudor em se apresentar projetos grotescos e mirabolantes.

O Brasil precisa se posicionar firme sobra a catástrofe da ditadura venezuelana, na ONU, na porcaria do Mercosul, na inoperante Unasul. É inaceitável que uma ditadura se instale no nosso quintal e nosso governo não tenha coragem de tomar uma posição dura em relação a isso.

Maduro agora pretende invadir a Guiana. Não temos força militar capaz de intervir sozinhos a ponto de resolver a situação, e dificilmente conseguira se juntar países dispostos a encarar a tarefa. Mas tem países com essa capacidade, e alguma coisa precisa ser feita, o Brasil tem obrigação de apoiar uma força internacional capaz de intervir, capturar Nicolas Maduro e entregá-lo ao Tribunal Penal Internacional.

Michel Temer deve deixar os venezuelanos em Roraima, um estado grande, e acomodá-los em outras cidades ao redor de Boa Vista. Alguém precisa dizer para Temer que venezuelano não é café vencido.

Leita também

O QUE PODEMOS FAZER PELA VENEZUELA?

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.