0

Lula está politicamente morto. Por favor, enterrem esse defunto!

Lula está politicamente morto. Por favor, enterrem esse defunto!A força tarefa do Ministério Público Federal que cuida da Lava Jato no Paraná apresentou suas alegações finais no processo contra Lula que trata da compra do terreno para o Instituto Lula pela Odebrecht e da cobertura ao lado da sua que estava em nome do primo de José Carlos Bumlai, Glauco da Costa Marques Bumlai. Os procuradores pedem uma pena total de 16 anos.

Já a equipe da Lava Jato Ministério Público Federal de São Paulo aguarda apenas o término das eleições para apresentar nova denúncia contra o já condenado Lula em três frentes distintas:

  • O repasse de 15 milhões de reais da Odebrecht e 5 milhões de reais de Eike Batista para a campanha de Fernando Haddad, em 2012;
  • A propina de 1,5 milhão de reais da Odebrecht para Luleco, a fim de organizar um torneio de futebol americano;
  • O pagamento de mesada da Odebrecht para Frei Chico, irmão de Lula.

Pode ser também que ainda saiam este ano as alegações finais contra Lula no processo que trata da compra dos caças suecos para a aeronáutica, além da venda da medida provisória que favoreceu o grupo CAOA.

Os advogados de Lula, o PT e seus asnos encantados tentaram de todas as maneiras enfiar na cabeça do povo que ele foi injustiçado no processo que o colocou na cadeia e que envolve tão somente o famoso tríplex do Guarujá envolvendo a construtora UTC, como se esse fosse o único processo contra ele. Mas não é, nunca foi e não sabemos ainda quantos mais poderão aparecer pela frente.

Lula é réu em 6 processos e muitos mais já despontam no horizonte com as delações premiadas de Antônio Palocci, já homologada pelo desembargador Gebran Neto no TRF4 e a do publicitário Marcos Valério, homologada ontem pelo ministro do STF Celso de Mello.

A única salvação possível para Lula está nas mãos de Dias Tóffoli, que é quem tem o poder de colocar em pauta no plenário do STF as ações diretas de constitucionalidade relatadas por Marco Aurélio Mello que visam revogar o entendimento da casa que autorizou o início do cumprimento de pena após condenação em segunda instância. Ou, dentro da utopia lulopetista, uma revolução popular que tome o Brasil de assalto e invada a sede da Polícia Federal em Curitiba e saia com o condenado nos braços e o leve para o Palácio do Planalto.

O resultado da eleição presidencial que poderia eleger seu poste Fernando Haddad aponta para um desfecho a favor de Jair Bolsonaro já no primeiro turno, e se isso acontecer ninguém será mais culpado do que Lula, que empurrou ao extremo do limite uma candidatura que nasceu tão morta quanto ele está na política.

Certamente, o PT atribuirá ao poste Haddad a responsabilidade pelo pífio resultado eleitoral, perca ele no primeiro ou no segundo turno, se houver. Mas quem jogou as últimas pás de cal na história do PT foi Lula, porque Lula só se preocupa com Lula.

O desfecho dessa eleição presidencial é também o humilhante desfecho daquele que poderia ter sido o maior presidente que o Brasil já teve, mas que preferiu ser o maior corrupto da história, talvez do mundo.

O PT deve amargar um gigantesco fracasso eleitoral de um partido na nossa história republicana, e os poucos focos de resistência que ainda restem serão incapazes de fazer renascer o partido que nasceu e cresceu defendendo a ética e a moralidade.

Luis Inácio da Silva é um morto-vivo encarcerado que ainda mantém sob sua tutela um séquito de “walking deads” que, junto com ele, deverão se encaminhar para suas tumbas ao final do processo eleitoral de 2018.

Parece estar cada vez mais claro que o megalomaníaco projeto de poder do PT chegou ao fim, e com isso aproxima-se o que, no fundo, é o que Lula mais temia, que é ser esquecido pelos seus parceiros de crime quando novas condenações se consumarem e ele não tiver mais nenhum poder para sustentar suas mentiras e os mentirosos que as repetem. E fatalmente será. Aliás, já está sendo.

Não podemos, no entanto, subestimar loucos solitários como José Dirceu, João Pedro Stédile e Guilherme Boulos, adeptos à valentia para a resolução das coisas. Não é impossível que o MST e o MTST comecem a provocar tumultos, distúrbios e atentados na tentativa de intimidar a sociedade pela força. Porém, se não pudemos contar com as Forças Armadas para uma intervenção militar, certamente contaremos com elas para rechaçar qualquer tentativa de provocar um caos revolucionário no Brasil. Pessoalmente acredito que tentarão.

O fato é que está na hora do Brasil virar a página e “enterrar seus mortos”, entre eles, e principalmente, o ex-palanque ambulante que nos últimos 4 anos não teve a dignidade de assumir a própria morte política. Se tivesse feito isso mais cedo, ao invés de afrontar todas as instituições da república, talvez tivesse conseguido um acordo que lhe permitisse pelo menos um velório de primeira classe, com honras de chefe de estado e tudo mais.

Mas, Lula preferiu acreditar na própria imortalidade política, arrastando correntes e assombrando aqueles que morrem de medo de fantasma. Acontece que fantasmas não existem, e se existem quem realmente morre de medo é o próprio Lula.

Chegou a hora de enterrar esse defunto. Resta saber se terá alguém disposto a segurar uma das alças do caixão.

Você pode gostar de ler também

Bolsonaro não deu à Globo e aos adversários a munição que eles queriam

 

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.