0

É bom que Lula saiba. Não é somente pelos nove processos.

 Tanto quanto seus crimes, o que o brasileiro não tolera mais é a arrogância de Lula.

É bom que Lula saiba. Não é somente pelos nove processos.

Lula surgiu arrogante num momento do Brasil onde isso poderia custar muito caro, especialmente para alguém que se posicionava contra o regime. Mas ele não fazia isso porque podia. Era estimulado a fazer. Uma maneira marqueteira de ganhar a credibilidade da massa de metalúrgicos do ABC e o pôde de representá-los junto aos patrões, mesmo que, de fato, acontecesse exatamente o contrário.

A liderança de Lula é nata, mas a estratégia que o levou a ser duas vezes presidente do Brasil não foi sequer imaginada por ele um dia. Descoberto o líder, grupos de pessoas que (mesmo para o mal) tinham inteligência, usaram o barbudo falastrão para atingir seus objetivos. E entre esses grupos havia militares, Polícia Federal, a igreja católica e os comunistas que ficaram quietos por muito tempo.

Ninguém fazia as bravatas que Lula fazia naquele tempo. Nem Brizola, que era uma voz contra o regime que impunha respeito, e de quem os militares tinham realmente medo. O que se provou um equívoco mais para frente. Brizola tinha perdido o bonde da história. Mas talvez tenha sido ele a pessoa que melhor percebeu Lula antes da maioria. Os dois vídeos abaixo são imperdíveis.

Lula tinha ligações com o General Golbery do Couto e Silva, que era chefe da casa civil do governo Figueiredo. Era informante da Polícia Federal, ligado ao falecido ex-senador Romeu Tuma, que na época era o superintendente da PF. Lula não negociava greves com os patrões, mas com os trabalhadores, pois ele era pago para convencer os trabalhadores a aceitar um acordo e fazia todo o jogo de cena para que isso parecesse verdadeiro. E dava certo.

Lula é uma mentira que passou a acreditar em si mesma. Ele nunca soube seu verdadeiro poder, porque tudo foi dado a ele de alguma maneira. Sua própria ascensão ao sindicato dos metalúrgicos é precedida de mortes estranhas, tanto quando foi a morte de Celso Daniel e do Toninho do PT.

Lula mentia, mente e continuará mentindo, porque fizeram ele acreditar que é algo diferente do que Brizola disse nos vídeos, mas não é.

O povo brasileiro não merece mais ser enganado por Lula, e penso que já não se permite mais enganar, nem com pesquisas que contrariam o senso comum, nem com caravanas recheadas de seguranças, sindicalistas e membros de movimentos sociais como MST e MTST.

A arrogância de Lula, tanto quanto seus crimes, não perdoa sequer sua família, todos envolvidos num emaranhado de crimes e ligações perigosas, mas menos ainda perdoa a memória da mulher que ficou por mais de 47 anos ao seu lado, debitando a ela culpas e responsabilidades como se a cumplicidade entre ambos se desse apenas em torno do matrimônio, jamais do patrimônio.

Lula é imperdoável, tanto pelo que fez ao Brasil, como pelo que continua fazendo ao “invadir” a vida de pessoas simples pelo interior do Brasil disparando bravatas que disseminam mentiras e ódio em pessoas que precisam acreditar em alguma coisa para continuar suportando a dura realidade da pobreza no Brasil. Isso não é justo.

Não, não é apenas pelos nove processos. É pelos anos todos que o PT esteve no poder. É pelos crimes. É pela mentira chamada Dilma Rousseff. E especialmente pela arrogância que continua a ser solapada nas nossas caras diariamente.

Ainda veremos Lula preso. E nesse momento ele não vai ver o sorriso estampado no rosto do Brasil. Mas vão contar para ele.

E se o nome disso não é arrogância, qual é?

Leia também

Essa discussão de direita e esquerda é, talvez, a maior das falcatruas intelectuais do nosso tempo.

Tanto quanto o Estado Democrático de Direito, precisamos de um Estado democrático direito.

 

No Ponto Do Fato