0

Lula derrubou Dilma para Temer derrubar a Lava Jato, simples assim

Lula derrubou Dilma para Temer derrubar a Lava Jato, simples assimReza a lenda que Lula se enfurnou num hotel em Brasília e que o dinheiro correu solto para tentar evitar o impeachment de Dilma. Há até uma conversa, dita por Eduardo Cunha, de que na véspera houve uma reunião entre ele, Lula, e Joesley Batista com essa finalidade. Quem acredita em Lula, Eduardo Cunha e Joesley Batista?

Se nas faculdades ensina-se ciências políticas, na vida real brasileira ela nada mais é do que a arte cênica. Nossos políticos são verdadeiros atores que constroem enredos nos quais interpretam papel de mocinhos em público, mas longe deles são os vilões que o combate à corrupção vem demonstrando dia após dia, há 4 anos.

Quem derrubou Dilma Rousseff foi Lula. Eduardo Cunha foi só o menino de recados. E não é difícil de entender.

Dilma Rousseff, por incompetência e por falta de autoridade, não conseguiu “estancar a sangria” como queria Romero Jucá. Dilma nunca teve autoridade moral diante de nenhum quadro do funcionalismo público, muito menos da Polícia Federal. Nem com José Eduardo Cardozo no comando do Ministério da Justiça foi possível agir para sufocar o sem número de operações que revelaram ao povo brasileiro – que não acredita em histórias da carochinha – o tamanho da roubalheira que aconteceu sob o comando da sigla “mais amada do Brasil” segundo o DataFolha.

Com Dilma no poder, nem os urubus comprados do STF conseguiam agir. Ou se fazia algo definitivo naquele momento ou muita gente já estaria presa, ou presa há mais tempo, caso do próprio Lula.

Impedir o avanço da Lava Jato precisava de alguém que tivesse experiência em se movimentar nos subterrâneos do poder, e esse alguém era Michel Temer.

Todos os passos da queda de Dilma foram tramados por Lula, juntamente com os principais caciques do PT e do hoje MDB.

Se Temer não era o presidente dos sonhos de ninguém, Dilma era o pesadelo de todo mundo. As ruas do Brasil se encheram de pessoas para pedir sua saída, mesmo sabendo que o remédio amargo a ser usado era empossar Michel Temer na cadeira de presidente. E assim foi feito.

Provas da encenação que foi tudo isso podem ser vistas na cordialidade com que todos se tratavam no dia do julgamento. Basta ver as fotos e se perguntar se existia ali alguma animosidade, rivalidade ou ódio.

Alguém me diga se esse sorriso é compatível com alguém que está sendo solapado do cargo.

Que ninguém pense que Dilma não sabia o que estava acontecendo. Se não soube no momento em que as articulações para a prosopopeia começaram, soube, com certeza, muito antes da Câmara dos Deputados te votado seu afastamento. Tudo foi previamente acertado, inclusive o fatiamento da constituição para manter os direitos políticos de Dilma.

Com ela fora da jogada, Michel Temer assumiu e fez o que ela não teve força e moral para fazer. O “estancamento da sangria” começou, com estrangulamentos de verbas para a Polícia Federal e com a participação ativa do STF, através dos ministros que estamos cansados de saber quem são. A prisão de Eduardo Cunha também fazia parte do combinado, pois ele é odiado tanto pelos inimigos quanto pelos amigos.

Michel Temer não é inimigo de Lula, muito menos do PT. São dois gumes da mesma faca, e, em nome da salvação das centenas de políticos, pouco se importaram com o que diriam os petistas e o povo em geral. O “Fora Temer” é coisa de gente iludida, que acredita em Papai Noel e coelhinho da páscoa.

O que provavelmente não estava no script era a ala resistente do Supremo Tribunal Federal, liderada por Luis Roberto Barroso, logo ele, o ministro que a direita chama de “vermelho”, nomeado exatamente por Dilma. Se era um risco calculado, fazia parte do cálculo que a prisão de Lula seria logo revogada por um habeas corpus de tramitação simples, que, como sabemos, não foi exatamente assim que aconteceu.

A classe política costuma se referir a Lula como um dos políticos mais intuitivos que já se viu na nossa república. Porém, na verdade, Lula é uma das mentes mais criminosas que já se viu na história do Brasil. Aliás, Lula não pensa e nunca pensou no Brasil. Lula só pensa em Lula.

O que estamos vivenciando nos dias de hoje é o desenrolar de uma trama que não saiu exatamente como planejada. O que os ministros do STF (que todos sabemos os nomes) estão fazendo é a prova do desespero de um crime imperfeito, mal planejado e pessimamente executado.

Lula está em desespero com a hipótese de que não existam mais mentiras e ações que possam reverter o estrago dos erros e imprevistos decorrentes de uma enorme sequência de crimes mal cometidos, e para isso, não importa que muitos crimes mais sejam praticados, muito menos quem tenha que praticá-los, mesmo que isso fique a cargo de ministros do Supremo Tribunal Federal, que ao invés de defender a constituição, defecam nela e usam suas páginas para limpar as fezes da elite corrupta que comanda o Brasil há quase 35 anos.

O que precisamos agora é cuidar de derrubar a turma do STF que rasga as leis e defende os corruptos e a impunidade. E quem quiser continuar acreditando em contos de fada, e tem quem queira, que acredite.

Você pode gostar de ler também

STF acovardado? Não. Acovardados estão o povo e as Forças Armadas.

 

No Ponto Do Fato