0

Indulto da corrupção só está virando realidade porque nós deixamos.

Indulto da corrupção só está virando realidade porque nós deixamos.Em vários de meus artigos citei a ideia do brasileiro de que a solução para o Brasil está em terceirizar o problema para um juiz de primeira instância, para a Polícia Federal ou para um candidato à presidente. Acontece que o mecanismo continua a funcionar, e o indulto de Temer, lembremos, editado e vetado em 2017 – acreditem – é a resposta do sistema no seu derradeiro momento de se auto proteger. Ou fazem isso até 31 de dezembro no caso dos executivos, ou no mais tardar 31 de janeiro, no caso dos legislativos.

Porém, enquanto o derradeiro fim não vem, canetas estão histéricas nos gabinetes de Brasília, doidas para assinar medidas provisórias, projetos de leis, leis complementares, habeas corpus… esses então nem se fale.

Não há nenhum indulto, falemos sério. Isso é a maior pilantragem da face da terra. Um bando de bandidos sem vergonhas dando canetadas em benefício próprio, rasgando constituição, lei, norma, regimento, e qualquer outra designação que possa se referir a manutenção da lei e da ordem como diz a Constituição Federal. O que Temer e o STF estão fazendo com esse indulto é uma imensa “cagada na cabeça” do povo brasileiro. E aí é que vem o detalhe: o povo merece. Merece porque não faz nada para não merecer. A imensa maioria vota mal e porcamente e só vota porque a lei obriga.

Acontece que quem tem capacidade de entender os acontecimentos, ver o quão nojento é o funcionamento desse mecanismo, também não faz nada. A classe média, apossada por um profundo sentimento anti-petista que foi capaz de eleger Bolsonaro, voltou para casa certa de que já tinha feito sua parte, tal qual fez após o impeachment de Dilma. O comodismo e a omissão do povo brasileiro são responsáveis por esse indulto de Temer.

Os ministros do STF estão pagando a conta do aumento salarial concedido (extorquido?) pelo Congresso Nacional e pelo Executivo. É apenas isso que está acontecendo. E que se dane a lei, que se dane o Brasil, e que se dane ainda mais o povo brasileiro.

Se aprovado o indulto pelo STF, como tudo indica, o dia 29 de novembro de 2018 entrará para a história do Brasil com o mesmo desprezo pela Constituição Federal que esse mesmo STF, na pessoa do seu então presidente, ministro Ricardo Lewandowski, teve ao fatiar o impeachment de Dilma Rousseff garantindo a ela seus direitos políticos.

O provável placar de 7 a 4 a favor do indulto de Temer deixará claro para o povo brasileiro quem está ao lado de um novo Brasil e quem defende o Brasil da impunidade e da corrupção, dos lavadores de dinheiro, dos assaltantes do dinheiro do contribuinte.

O indulto de Michel Temer será uma significativa pá de cal na Lava Jato e na própria ideia de justiça no Brasil. Fica difícil não ter ideias mais extremistas ao ver que o mais importante órgão da justiça brasileira apenas abençoa corruptos, bandidos e ladrões.

O mais triste disso tudo é saber que só acontece porque nós deixamos, porque nós não temos a capacidade de nos mobilizar espontaneamente para parar esse país. E quem tem nesse momento não tem coragem de fazer.

Um Jair Bolsonaro sozinho não faz verão.

Você pode gostar de ler também

STF não vende fiado, não vende barato, nem aceita cartão

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.