0

Haddad é Lula, o Lula derrotado de Curitiba, que já não é mais Haddad.

Haddad é Lula, o Lula derrotado de Curitiba, que já não é mais Haddad.Antes de tomar uma sova no primeiro turno, Haddad era Lula. Era vermelho, queria fazer uma nova constituinte, estampava orgulhosamente a foto de Lula e a estrela do PT, repetia discursos, defendia o programa de governo que tratava da descriminalização das drogas, a legalização do aborto.

A realidade das urnas eletrônicas provocou uma metamorfose no poste. Haddad descobriu que conseguiu ser Lula. Mas o Lula derrotado, que está preso em Curitiba. Haddad também viu que estava preso em Curitiba.

Quem rejeitou Haddad o fez porque ele é o PT que o povo não quer mais, e, principalmente, porque rejeita Lula. O PT não subestimou apenas Jair Bolsonaro, subestimou antes de tudo o povo brasileiro.

O PT perdeu a eleição. Haddad pode ter deixado de ir na prisão conversar com Lula, mas Haddad já era Lula.

Quando escondeu o vermelho, a estrela do PT, Lula, desistiu da constituinte, da legalização do aborto, da descriminalização das drogas, passou a dizer que aceitava liberar armas para a população, Haddad mostrou o quanto conseguiu ser Lula, mentindo com a mesma desenvoltura, distorcendo os fatos com a mesma desfaçatez, jogando sujo com as mesmas armas.

Haddad é Lula porque ele é PT e o PT é Lula.

Haddad perdeu e agora não tem mais nada a perder. Aí ao cometer o crime de denunciar falso crime, como esse do WhatsApp, o máximo que pode acontecer com ele é ter a chapa impugnada. Mas ele já perdeu.

Difundir notícias falsas é crime eleitoral. Mas que diferença faz se ele já perdeu? Contar mentiras sobre seu concorrente, denegrir sua imagem, inventar fatos, simular eventos, fingir verdades, são ferramentas de quem não tem mais nada a perder, porque sabe que a eleição já está perdida.

Haddad é Lula, e foi de Lula a ideia de criar um escândalo. E conseguiu fazer um escândalo dentro do outro, o da falsa denúncia e a declarada cumplicidade da Folha de São Paulo no patrocínio da mentira.

Haddad perdeu, o PT perdeu, a esquerda perdeu. E estão colocando o que resta a perder também. A probabilidade de tirar a diferença no voto é praticamente impossível. Na faca também não sei certo. Quem sabe na justiça?

Dada a participação ativa e cúmplice da Folha de São Paulo, e na reverberação que ela tem, não é de se duvidar que nessa semana a “imprensa oficial do PT” traga outros furos de noticiais contra Bolsonaro, mesmo não tendo apresentado nenhuma prova do que afirmou na notícia sobre o WhatsApp.

A notícia sobre o WhatsApp era só a materialização de algo que pudesse ser levado ao TSE como “prova” de um crime. O PT precisava que algo material, tangível, que tivesse ares de documento ou verdade. E a Folha se prestou a fazer esse papel, literalmente. E fez porque sabe que Haddad já perdeu.

Haddad é o Lula do tríplex, do sítio de Atibaia, do prédio do Instituto Lula, da cobertura de São Bernardo, da venda de medidas provisórias, da compra dos caças suecos, das delações da Odebrecht, da UTC, da Camargo Corrêa, da Andrade Gutierrez.

Haddad é o Lula das delações de Emilio Odebrecht, de Marcelo Odebrecht, de João Santana e Mônica Moura, de Delcidio do Amaral, de Marcos Valério, de Antônio Palocci.

Bolsonaro não está apenas ganhando a eleição. O resultado é muito maior do que isso. O PT está perdendo a eleição. Com a eleição vai perder o discurso quando Bolsonaro for eleito e não acontecer nada do que se afirma contra ele. E vai perder também a influência e a importância, se não acabar perdendo até a legenda.

Mas que ninguém se engane de que qualquer coisa pode acontecer essa semana. Qualquer coisa mesmo. O PT já perdeu a eleição, mas não perderá a chance de utilizar de tudo, indo além do limite da sujeira para tentar melar essa eleição, podendo, inclusive, receber ajuda de lugares que deveriam proferir apenas sentenças.

Haddad é Lula. Lula perdeu. O Brasil ganhou dessa vez. Mas não será fácil.

O que sobrar do PT e da esquerda, após a eleição fará de tudo para que 2019 seja um ano ingovernável, nem que o preço disso seja provocar no limite para que haja uma ação das forças armadas para que eles possam dizer: sempre dissemos que era isso que eles queriam.

Restará então ao PT e a esquerda tentar repetir a história de um 1968 que, para eles, não acabou até hoje, e que não podem deixar acabar. Se deixarem acabam junto.

Haddad é Lula. Lula já não é mais Haddad. O PT perdeu.

Você pode gostar de ler também

STF, o verdadeiro e grande culpado de toda a desordem jurídica do Brasil

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.