0

Geraldo Alckmin, o candidato sem graça do partido que perdeu a graça

Geraldo Alckmin, o candidato sem graça do partido que perdeu a graçaFico absolutamente confortável para falar de Geraldo Alckmin e do PSDB, porque eu fui eleitor do PSDB. Votei em Fernando Henrique, José Serra, no próprio Geraldo Alckimin e em Aécio Neves. Fui um asno encantado do PSDB, mas não tive a menor dúvida quando a Lava Jato desde o início revelou fortes evidências de que não apenas o PT estava envolvido, mas todos os partidos, e com o PSDB não seria diferente.

Meu voto em Aécio Neves só não foi mais decepcionante porque ele não venceu, mas o dilema também era grande, porque o ideal para o Brasil era que nem ele, nem Dilma, fossem eleitos. E entre ele e ela, eu preferia ele, porque não tinha ideia do sujo que ele era e já sabia a suja que ela era.

Geraldo Alckmin é um cara tão sem graça que até a eficiência alegada a ele é sem graça. É curioso entender a carreia vitoriosa desse cidadão e mais curioso ainda entender porque o paulista vota nele. A única opção que me vem à cabeça é o fato dele ser do PSDB e não ter tido opositores que conseguissem ser menos sem graça do que ele.

Política é uma coisa estranha, e surpresas acontecem. Mas, penso eu, que Geraldo Alckmin não tem a menor chance de se eleger presidente da república. Mais do que isso, daqui até a eleição, seis meses, e sem foro privilegiado, não é impossível que a justiça exponha que o “Santo” das planilhas da Odebrecht tem muito pouco de santo, bem ao estilo Aécio Neves. O que muda entre os dois é a postura.

Paulo Preto está preso, o homem que sabe tudo sobre José Serra e Geraldo Alckmin. E deve saber também de Aécio e FHC. Seus recursos têm sido negados nas cortes superiores, o que nos faz crer (imagina na cabeça desses corruptos então) que não será surpreendente que, se continuar preso por muito tempo, resolva abrir o bico e contar o que sabe sobre os últimos 30 anos do PSDB no estado de São Paulo. Paulo Preto pode fazer a coisa ficar preta.

Geraldo Alckmin cometeu a burrice de renunciar ao cargo de governador de estado para tentar ser presidente, numa cruzada que só ele e meia dúzia de puxa-sacos devem acreditar. Não há espaço para ele nesse momento da política nacional para tentar ser presidente. O povo brasileiro se cansou de gente se se faz de morta e quer na presidência alguém que tenha sangue nos olhos e não sensibilidade de médico legista.

Não há discurso para um político importante nesse cenário atual, sobre quem pairam sérias acusações de recebimento de dinheiro de caixa dois, prática de corrupção passiva e, mais com o agravante de ser próximo de Aécio Neves e José Serra.

Parece que os políticos se negam a entender o óbvio de que o Brasil mudou, o povo brasileiro que forma opinião mudou, e que todas as desculpas já conhecidas não são suficientes para ludibriar as pessoas em troca de votos.

A única coisa que um político pode dar ao povo brasileiro em 2018 é prova de honestidade, e isso Geraldo Alckmin não pode fazer.

O PSDB já não é uma legenda capaz de levantar a cabeça e se dizer pura e isenta de participação em esquemas de corrupção. Existem investigações sobre os governadores do Paraná, Beto Richa, e de Goiás, Marconi Perillo, também sobre diversos senadores, deputados federais, deputados estaduais, prefeitos e vereadores do partido. E isso será exaustivamente explorado durante as eleições, pois o PT, principalmente, fará questão de expôs os fatos.

Uma possível aliança com o MDB só fará enterrar ainda mais quaisquer pretensões de ambos, será a união do inútil com o desagradável, e parece que só eles não conseguem perceber isso, ou então o desespero realmente não lhes dá outra alternativa.

Geraldo Alckmin é mais um representante do atraso político que ainda reina nesse país, e que, esperamos, comece a ser erradicado em outubro próximo.

Não há nada que Geraldo Alckimin possa oferecer ao Brasil que não tenha oferecido até hoje. Pior que isso, não há nada que o Brasil possa esperar de Geraldo Alckmin. Nem falar dele tem graça.

Você pode gostar de ler também

Deputados só se preocupam com presos incomuns, os comuns que se…

No Ponto Do Fato