0

Forças Armadas barram ideias armadas à força no STF

Intervenção branca das Forças Armadas barra ideias armadas à força no STFCorre pelo planalto central a informação de que a ministra Cármen Lúcia teria recebido apoio das Forças Armadas para manter-se firme na decisão de não pautar o tema que levaria à revisão do entendimento de que pode-se prender alguém que tenha sido condenado em segunda instância. Um tema caro a muitos ministros do STF, absolutamente comprometidos com a manutenção da liberdade de bandidos de colarinho branco.

Se é verdade ou não, fato é que o posicionamento da presidente do Supremo Tribunal Federal, em evento ontem à noite em Brasília, foi um recado claro de que não haverá moleza para Lula, e nem para ministro do mesmo Supremo que queira continuar patrocinando a causa do condenado a 12 anos e 1 mês de cadeia. Recado que serve também para os investigados, réus e condenados.

Mas, confirmando-se a veracidade do apoio que Cármen Lúcia teria recebido das Forças Armadas, o principal recado vai para a esquerda, em especial o PT, senadores e senadores bocudos e líderes de movimentos sociais que se arvoram do direito de dizer o que querem, para quem querem, onde querem. Se insistirem na promoção do caos, na incitação à violência, no estímulo a uma guerrilha urbana, o troco será imediato.

Sendo verdadeiro que as Forças Armadas teriam dado à presidente do STF a segurança que ela precisava para se manter firme na decisão de enfrentar os inimigos internos no Supremo Tribunal Federal, já é hora de pautar ações contra senadores e deputados federais que precisam desesperadamente se reeleger para manter algum tipo de prerrogativa que lhes conceda liberdade.

Cármen Lúcia precisa pautar, urgentemente, a decisão sobre o fim do foro privilegiado, cujo resultado todo mundo já sabe, mas que não foi aplicado graças a graça feita por Dias Tóffoli, um ministro (dói chamar assim) sob encomenda para tarefas rasteiras. Mas, palhaçada à parte, consta que ele já teria liberado o tema para julgamento novamente. Então que a presidente da casa resolva logo essa pendenga.

Leia também

Carta aberta à ministra Cármem Lúcia, presidente do STF

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.