0

Eduardo Cunha continua em Brasília. E que ninguém se assuste se for libertado.

EEduardo Cunha ste site alertou desde o primeiro momento (link do Fato!) da estranha e prolongada estadia de Eduardo Cunha em Brasília. E num segundo momento voltou a tocar no assunto com a mesma veemência (link do Fato!)

Todos os movimentos da ida de Eduardo Cunha para Brasília foram suspeitos antes mesmo do ex-deputado ser transferido a pretexto de depor para o Ministério Público e para o juiz Vallisney de Souza Oliveira.

Já eram muito estranhas a insistência e a persistência das solicitações dos advogados de Cunha para que ele fosse transferido para Brasília. Foram diversas petições e habeas corpus, cada um com uma desculpa mais esfarrapada que a outra, mas sempre com o intuito de que os ex-presidente da Câmara dos Deputados e atual hospede do Complexo Médico Penal de Curitiba cumprisse a preventiva em Brasília.

Assim como também foi muito estranho que o avião que o levou de Curitiba para Brasília tenha feito isso com quatro ou cinco dias de antecedência do programado, usando como desculpa para isso uma questão logística da Polícia Federal. Balela.

Na Papuda, Eduardo Cunha deu entrevista para a Revista Época, e se uma mera revista semanal teve acesso a um preso desse quilate, não é errado imaginar que muita gente com muito mais importância tenha feito a mesma coisa.

Mas todo o estranhamento começa a ficar menos estranho quando se nota que o conteúdo da entrevista teve o objetivo claro de desqualificar a delação premiada do seu ex-operador de propinas Lúcio Funaro, além de defender claramente o presidente Michel Temer dos pepinos em que se encontra. Mas não para por aí.

Agora, os advogados de Temer estão usando a entrevista de Eduardo Cunha nas ações de defesa e os deputados a estão usando para justificar suas inclinações de votar pelo arquivamento da segunda denúncia contra o presidente.

E para concluir, o ministro Fachin, do Supremo Tribunal Federal, liberou para julgamento um habeas corpus de Eduardo Cunha.

Quem diria!

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.