0

E agora Gilmar Mendes? O TRF4 está mandando José Dirceu para o xilindró.

A CONDENAÇÃO DE JOSÉ DIRCEU EM SEGUNDA INSTÂNCIA PÕE O STF EM XEQUE. PRENDE OU NÃO PRENDE?

É certo que as pessoas de bem querem os corruptos presos. Lula é o que melhor simboliza esse desejo, mas não se pode passar batido pela condenação de José Dirceu em segunda instância, inclusive com um aumento de 10 anos na pena, passando de 20 anos e 10 meses para 30 anos e nove meses, digamos melhor que a encomenda.

O que pesa nisso tudo, no entanto, é que essa condenação escancara o debate sobre a prisão após a condenação em segunda instância, e, provavelmente, esse assunto será debatido com certa rapidez no Supremo, porque ele é do interesse de 100% dos corruptos enrolados na Lava Jato e outras tantas operações do Ministério Público e da Polícia Federal.

O ministro Gilmar Mendes, autor de voto favorável ao cumprimento da pena após condenação em segunda instância, tem sido o principal articulador do retorno desse assunto ao plenário da corte, e é um tanto quanto previsível que isso volte a ser pautado com urgência porque se há um momento para tentarem reverter as coisas esse momento é agora.

Tão logo o processo retorne ás mãos de Sérgio Moro após as prováveis apelações da defesa de José Dirceu, o pedido de prisão já poderá ser cumprido.

Apesar de não ser Lula, a prisão de José Dirceu aplacará um pouco da sede de justiça dos brasileiros. Como dizia Lula, José Dirceu era o capitão do time, e o povo brasileiro reconhece na competência de sua bandidagem a posição que Lula lhe designava.

Se for preso e o STF decidir que não se pode prender após sentença condenatória da segunda instância, a sede inicialmente aplaca pela prisão de Dirceu vai se transformar na definitiva desmoralização do judiciário, e os ministros do Supremo podem esperar para que seus nomes e credibilidades sejam enterrados na lama junto com os corruptos. O povo não aceitará outra decisão que não seja a de que condenados por um órgão colegiado em segunda instância tem que ir para a prisão.

Entretanto, são tantos os tapas na cara que o povo brasileiro leva que não é difícil que essa decisão seja revertida. E que por acomodação ou comodismo continuemos apenas assistindo passivamente aos acontecimentos.

O brasileiro precisa parar de sonhar com o exército de Caxias invadindo as cidades com seus cavalos brancos e começar a imaginar-se tomando as praças e ruas numa manifestação civil de descontentamento, como foi feito na Ucrânia, como foi feito no Egito, na Turquia, na Líbia, como é feito na Venezuela. E só sair da rua quando o governo cair.

Caso contrário, para se interpretar leis no Brasil, ficaremos sempre à mercê da pergunta: e agora Gilmar Mendes?

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.