0

DESDE A REDEMOCRATIZAÇÃO O BRASIL VIVE DE FARSA EM FARSA

ESTÁ NA HORA DE VOCÊ FAZER UMA ESCOLHA SOBRE O PAÍS QUE QUER VIVER

Se você não estiver interessado em esclarecer o presente e pensar realmente no futuro, pegue a pílula vermelha e desista desse texto aqui. Mas se quiser tentar entender um ponto de vista a respeito desse momento, fique com a azul e siga meu raciocínio.

As pessoas que comandam o país são as mesmas desde a posse de José Sarney, dada a morte do titular do cargo Tancredo Neves. Depois de passar todo o regime militar no partido do governo, Sarney tinha saído da Arena e ido para o MDB, vindo a ser o vice na chapa de Tancredo.

Vem da época do regime militar a ligação de Sarney com o setor elétrico, e prova foram as sucessivas vezes que ele mesmo, ou alguém ligado a ele, como Edson Lobão, estiveram no cargo. Muito provavelmente a exceção foi Dilma Rousseff, mas sem que isso tenha interferido nos seus interesses.

Pode-se dizer que desde então praticamente nada de importante no mundo político aconteceu sem a benção de José Sarney, ou sem que no mínimo lhe tenha sido pago algum para que não houvesse melindres.

Mas com tantos assuntos do dia, como JBS, Rodrigo Janot, Marcelo Odebrecht, Lula, porque raios estou eu falando de José Sarney? Só para que você entenda que nada mudou. Aliás, uma coisa mudou sim. As cifras da corrupção saíram da casa do milhão para a casa do trilhão, praticando assim a distribuição de renda que tanto os políticos pregam em seus comícios, só que apenas entre eles mesmos.

Vieram Collor, Itamar, Fernando Henrique, Lula, Dilma e Temer, e só o que se viu foi o aprofundamento da farsa e a profissionalização da corrupção em larga escala, resultando no que vivemos hoje.

A trama da delação da JBS se insere perfeitamente nesse contexto, e aqui vou me permitir ser contra a corrente e dizer que tudo sempre foi tramado para acontecer como está acontecendo. Não há esquecimentos, não há coisas que foram omitidas ou escondidas e só agora lembradas. Foi tudo cronogramado e cronometrado para acontecer na sequência e nos intervalos de tempo que estão acontecendo.

A delação da JBS foi uma aposta altíssima, que de tão alta precisou não só da anuência, mas da participação direta de escalões da política e da justiça que não se constrangeram ao ficarem expostos diante da mídia de do público como ficaram, porque o objetivo primeiro era fazer acreditar, para que depois pudesse se usar a mesma fonte da mesma forma e com a mesma força para que tudo fosse desacreditado.

Não há inocentes nesse jogo, de nenhum lado. Só há uns que são mais espertos que os outros, e uns que são mais idiotas que o normal. Mas nenhum inocente.

Estamos vivendo o meio do epílogo de uma farsa, vivenciando uma guerra de facções contra a justiça, e para isso vale fazer o povo acreditar e desacreditar nas manobras mais incríveis da maneira mais crível possível, até que isso chegue ao STF e toda a delação e provas possam ser canceladas e descartadas, inclusive essa última sequência de gravações que citam o nome de 4 ministros do próprio STF.

Outras farsas ainda serão inventadas para justificar ou contradizer as farsas anteriores. Ouviremos, veremos e leremos farsantes de saia, de terno e de toga dando as mais improváveis e inexplicáveis explicações como se tudo fosse apenas institucional. E eles fazem e farão isso por um simples motivo: continuam apostando que você teria escolhido a pílula vermelha lá no começo do texto e jamais teria se dado ao trabalho de prestar atenção em todo esse raciocínio. Espero que estejam errados.

 

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.