0

DEPOIS DO “TEM QUE MANTER ISSO” DE TEMER, O CONGRESSO QUER CPIs – COMO PARA ISSO

O QUE DEU CERTO NA CPI DOS CORREIOS FOI A PARTE QUE DEU ERRADO E REVELOU O MENSALÃO. O RESTO SAIU DE LÁ IMPUNE. INCLUSIVE LULA. INCLUSIVE AÉCIO.

Toda vez que o congresso se vê pressionado com alguma coisa, dá-lhe CPI. É CPI na Câmara dos Deputados e CPI no Senado investigando as mesmas coisas, ou então fazem a CPI mista de uma vez. O importante é criar CPIs e fingir que estão tratando de alguma coisa com a importância devida.

Sua insatisfação pode gerar resultados. Crie um Blog agora mesmo!
Quero mais informações, ou para começar agora, clique aqui.

Ainda que se fizessem CPIs com algum propósito digno, seria impossível que alguma coisa pelo menos digna saísse das mãos desses políticos, a maioria sem dignidade nenhuma.

Parte do pagamento pelos votos a favor do arquivamento da denúncia contra Temer virá na forma de uma reforma política que atenda os interesses dos partidos clientelistas e fisiológicos; a bagatela de 6 BILHÕES DE REAIS num novo fundo partidário. E ninguém vai fazer uma CPI para tratar disso.

O caráter investigativo das tais Comissões Parlamentares de Inquérito, apesar do poder de investigar, condenar e até mandar prender, não os torna substitutos (muito menos isentos) do papel do Ministério Público e do Judiciário. Muito menos tem a qualidade investigativa e isenta da Polícia Federal. Foi, e continuará sendo, um foro com poder de melar investigações e proteger culpados.

Se a delação da JBS já deu o que deu tendo sido acordada diretamente com o Procurador Geral da República e homologada (e ratificada pelo pleno) por um ministro do STF, imagina o que pode sair de uma investigação conduzida por deputados e senadores diretamente envolvidos nela?

Chega de CPIs. Não temos que manter isso. E somos nós que financiaremos todos os custos extras que essas CPIs gerarão nas contas do congresso. Por meses e meses. Nós pagaremos mais essa conta.

Eles procuram sempre um jeito de “Como Parar Isso”. Nós precisamos fazer a mesma coisa.

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.