0

COLLOR RÉU NA LAVA JATO

LOGO COLLOR NÃO É AMIGO DE GILMAR MENDES

Na verdade, Collor não é amigo de ninguém. Filiado ao nada representativo PTC, Fernando Collor é senador de si mesmo e fica no senado até 2023, mesmo não sendo amigo de Gilmar Mendes.

O ex-presidente, que saiu pela porta dos fundos do Palácio do Planalto, gosta de dinheiro, gosta de luxo, não gosta de amigos. Não vive em rodas de senadores fora do senado, não é visto em jantares na casa de um ou de outro, nem chegando na garagem do planalto depois das 22 horas. Mesmo quando era próximo de Lula e Dilma, o fazia de forma presencial quando oportuno ou necessário. Nada de social.

A Segunda Turma do STF tornou o ex-caçador de marajás réu pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. E mesmo não segundo amigo de Gilmar Mendes, esse até que deu uma mãozinha, liderando uma rejeição para que não se tornasse réu também por crimes de peculato e obstrução de justiça.

Ricardo Lewandowski, um tipo de Tonto do Zorro Gilmar Mendes, chegou a dizer textualmente “A denúncia é torrencial, ultrapassou os lindes daquilo que, a meu ver, é razoável numa peça. Houve claramente um excesso de acusação“. Mas ele também não é amigo de Fernando Collor. Aliás, dizem que nem Marco Aurélio Mello é amigo de Collor, apesar de serem primos e ter sido indicado por ele para o STF.

Fernando Collor de Mello teve a oportunidade de dar a volta por cima no seu retorno ao cenário político. Poderia ter reinventado sua carreira, suas ações, suas intenções. Foi inocentado de alguns processos, mas, com a conivência da morosidade do sistema e da boa vontade de muitos magistrados com políticos em geral, os outros prescreveram. E ele reergueu a cabeça e a cobiça.

Se Collor fosse amigo de Gilmar Mendes esse processo nunca teria chegado ali na Segunda Turma para ser votado, não teria recebido os votos parcialmente favoráveis de Tóffoli e Lewandowski, muito menos o dele próprio. Mas não é. E agora, nas agradáveis companhias de Gleisi Hoffmann e Valdir Raupp, é o terceiro senador em exercício que vira réu no âmbito da Lava Jato.

Penso que Collor deveria escolher melhor suas amizades. Ou no mínimo ter amizades.

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.