0

Os caminhoneiros cruzam os braços, nós só cruzamos os dedos

Os caminhoneiros cruzam os braços, nós só cruzamos os dedosOs caminhoneiros estão de braços cruzados a dois dias. Hoje, governo e congresso correram para tentar consertar os estragos causados pelos sucessivos aumentos de combustíveis. Será que vai dar certo?

A reação do governo é proporcional ao tamanho do estrago que essa categoria tem condição de fazer, não apenas na economia, mas no cotidiano de todas as cidades do país. Tudo depende deles. Inclusive e principalmente o combustível que os move e que move tudo que transporta alguma coisa de algum lugar para o outro.

Sem combustível não tem carros circulando, não tem ambulâncias, polícia, bombeiros, táxi, motos, tratores. E aí falta comida, remédio, roupa, móveis, eletrodomésticos, insumos de todas as naturezas, e até carros novos para vender.

Só damos valor e importância ao trabalho dos caminhoneiros quando nos afeta negativamente, e eles só usam do poder que têm quando isso os afeta diretamente. O Brasil precisa mais do que isso para dar certo.

A greve dos caminhoneiros é legítima, oportuna e todos os brasileiros precisam apoiar, inclusive sendo vítimas do desabastecimento provocado por essa greve. É justa não apenas para eles, mas para nós também. O aumento do Diesel implica no aumento do frete que aumenta no preço do produto, que nós mesmos pagamos. Uma redução nesses custos deve ter a mesma implicação ao contrário.

Caminhoneiros não sofrem apenas com os preços do Diesel e por consequência nós também não. As péssimas condições das estradas brasileiras, a insegurança nas estradas a qual essa categoria fica permanentemente exposta, tanto na questão dos acidentes como em assaltos e roubos de carga, pedágios que não garantem a eles uma estrada decente, aumento do seguro em função dos roubos das cargas e dos próprios caminhões, IPVA, pneus, freios… aumenta para eles e impacta finalmente nos nossos bolsos.

Não pode ser uma greve apenas por causa do preço do Diesel, tem que ser por tudo isso. Os caminhoneiros podem parar o Brasil, e talvez seja a hora de alguém fazer isso. Cada dia é menos possível e mais custoso fazer girar essa roda chamada Brasil, sem produzir a riqueza e progresso possíveis e necessários para o povo brasileiro.

Precisamos de saúde, educação, segurança pública e moradia como quesitos básicos de cidadania, e para isso aprendemos a entender e exigir que a justiça seja feita e cumprida em todas essas questões há décadas servindo apenas para desviar e roubas verbas públicas, ou dinheiro do pagador de impostos, como disse Margareth Tatcher.

Se os atos de junho de 2013 não foram por R$ 0,20, que essa greve dos caminhoneiros não seja apenas pelo preço do Diesel, mas para mostrar que a era dos trouxas nesse país acabou, e que hoje existe um povo que começa a entender que não adianta só cruzar os dedos e esperar que alguém resolva tudo por ele.

Se alguém quer um futuro melhor é bom prestar mais atenção em quem cruza os braços do que em quem cruza os dedos.

Você pode gostar de ler também

Eduardo Azeredo, finalmente, será preso. Mas e o Aécio?

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.