0

Brasileiro. Talvez o povo mais sem vergonha que habita este planeta.

Brasileiro. Talvez o povo mais sem vergonha que habita este planeta.Do ponto de vista da lógica é incrível que tenhamos chegado a esse ponto, porque não há nenhuma. O povo brasileiro que se manifesta contra os militares é muito diferente do povo brasileiro que foi às ruas em 1964. Naquela época não havia doutrinação de esquerda como passou a existir desde que o regime militar foi instaurado.

Já existia pobreza, mas não existia a desigualdade que existe hoje. As escolas públicas e universidades tinham docentes decentes e não doutrinadores indecentes. E não foi o regime militar que acentuou a desigualdade. Ela foi enormemente agravada a partir da redemocratização do país, quando Sarney assumiu e passou a fazer do dinheiro do contribuinte um caixa para enriquecer a quadrilha que ele passou a liderar. Aliás, Sarney já roubava desde a época dos militares, os quais apoiava.

Sarney roubou, Collor roubou, FHC, roubou, Lula roubou, Dilma roubou, Temer roubou. E todos continuaram roubando mesmo quando não estavam chefiando o executivo do país. E o que fez o povo? Reelegeu Sarney e Collor para o senado diversas vezes, reelegeu FHC, reelegeu Lula e reelegeu Dilma e seu parceiro de primeira hora Michel Temer.

O que pensa o povo brasileiro? Nada. Há 33 anos esse povo vem sendo criado e doutrinado exatamente para não pensar. Basta olhar o volume de investimentos em educação feitos durante todo esse período.

Temos um país estruturalmente sucateado para qualquer lado que se olhe. Educação de péssimo nível, em especial o ensino fundamental, momento em que se dá o primeiro passo na formação da cidadania.

Nosso sistema de saúde é incapaz de fornecer ao cidadão um sistema de saúde que garanta a todos ao menos a dignidade. Pessoas morrem em filas de hospital, à espera de transplantes, cirurgias e até mesmo esperando para realizar exames simples como mamografia, ultrassom, cateterismo, tomografia, ressonância magnética, todos capazes de ajudar na prevenção de doenças e reduzir a mortalidade da população.

Hoje, são 13 milhões de desempregados sem perspectiva imediata de recolocação no mercado de trabalho, o que significa algo em torno de 39 milhões prejudicadas diretamente pela falta trabalho e de dinheiro para a subsistência digna. E a única alternativa que os atuais políticos oferecem são programas assistencialistas que mal enchem barrigas e que não promovem o cidadão a uma condição digna de vida.

A infraestrutura brasileira é absolutamente ineficiente, sendo um impedimento para que o desenvolvimento possa chegar em muitos lugares, especialmente no Nordeste, cujas ligações com o sudeste se dão por duas ou três rodovias totalmente precárias, aumentando o custo do produto nacional e ceifando vidas ao longo de suas centenas de quilômetros.

A indústria nacional tem um parque desatualizado, sem capacidade de competir no mercado internacional, corroída pela altíssima carga tributária. Um exemplo ridículo disso é um ar condicionado vindo da China custar muito mais barato do que o mesmo produto fabricado aqui mesmo dentro do país.

A justiça brasileira está aparelhada da primeira à última instância. Ao invés de honrar os artigos da Constituição Federal ela rasga ou fatia as leis, protege ricos e corruptos faz da impunidade uma garantia para quem quer que o Brasil continue do jeito que está.

Sobrevivemos, sabe-se lá como, no meio de guerrilhas urbanas em quase todas as cidades do país, com assaltos cinematográficos à caixas eletrônicos com uso de dinamite à luz do dia, assaltos à bancos, às residências, à carros fortes. Produzimos 60 mil homicídios anuais que já ceifaram a vida de mais de 1 milhão de pessoas nos últimos 15 anos, entre elas 44 bebes vítimas de balas perdidas desde 2007 só no Rio de Janeiro, o estado mais dilapidado pela corrupção.

E o que faz o povo brasileiro contra isso tudo? Vai às ruas protestar contra um candidato que promete combater isso tudo, levantando bandeiras contra machismo, homofobia e racismo, como se fossem essas as principais pautas do país, em apoio a todos os corruptos responsáveis pela situação dramática que vivemos.

O povo brasileiro é sem vergonha. Elege e reelege corruptos porque se tornou um povo corrupto. Quem recebe Bolsa Família sem merecer é tão corrupto quanto o governante que desvia dinheiro da saúde, da educação, da segurança. E são milhares de casos, gente que troca o acesso à dignidade pelo assistencialismo.

Esse povo sem vergonha não quer combater a corrupção. Quer participar dela, porque é esse o exemplo que os políticos oferecem ao enriquecerem desavergonhadamente com o dinheiro do contribuinte, vendendo a ideia de que no Brasil só se enriquece através da corrupção, e que quem fica rico não vai preso.

As eleições do próximo domingo não definirão apenas quem irá para o segundo turno ou quem será o próximo presidente. A verdadeira definição é sobre que tipo de povo queremos ser, em que tipo de país queremos viver e que tipo de futuro poderemos ter.
Definitivamente, não há lógica que resista ao povo brasileiro, somos uma vergonha como nação.

Você pode gostar de ler também

Brasileiros, falemos de nós. Que país queremos? Pra quando queremos?

 

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.