0

ANtÕNIO PALOCCI. UM ASNO DESENCANTADO.

O PROBLEMA DE LULA AGORA NÃO É MAIS ENCANTAR ASNOS, MAS LIDAR COM OS ASNOS DESENCATADOS

No seu comentário de hoje na rádio CBN, Arnaldo Jabor falou de Lula e do lulismo como uma religião que cega as pessoas a ponto delas continuarem votando nele mesmo que tudo seja provado e comprovado, sem deixar dúvidas. Vou discordar.

Talvez isso fosse uma verdade um ano atrás, mas não hoje.

Lula vem tomando sucessivas sovas da justiça, das quais a condenação no processo do triplex é só a mais espetaculosa. Praticamente todos os recursos às instâncias superiores são negados, assim como são demolidas todas as estratégias de defesa cada vez que alguém abre o bico, via colaboração premiada ou não, como os casos de Léo Pinheiro, Renato Duque e agora Antônio Palocci. Esses falaram porque quiseram, e porque entenderam que chegou o fim da linha.

Ao contrário de João Vaccari Neto, um estúpido idiota útil que vai morrer na cadeia como idiota inútil, porque ninguém do PT fará nada para tirá-lo de lá, Antônio Palocci não é soldado petista, era oficial de alta patente; e não é idiota.

A tarefa de desqualificar o depoimento de Palocci foi talvez uma das atitudes mais ridículas de Cristiano Zanin (e olha que ele é bom em atitudes patéticas) porque ele tratou daquele que foi um dos homens mais poderosos do PT por 13 anos como se falasse de um entregador de malas qualquer contratado por Alberto Youssef.

Palocci não ouviu dizer as coisas que disse. Ele participou de tudo, de cada ato lícito e ilícito dos governos Lula e Dilma. E não apenas como coadjuvante, foi ator principal de praticamente tudo que já se sabe sobre a podridão dos governos petistas.

Antônio Palocci não é André Vargas a quem o petismo deu as costas sem medo, nem é um lunático do estilo José Dirceu que se propõe a mártir na certeza de que um comandante revolucionário vira montado num cavalo branco tirá-lo da prisão. Palocci é um homem de negócios que sabe ganhar e perder. E que sabe que dessa vez perdeu.

O depoimento de Palocci ao juiz Sérgio Moro é o começo do momento derradeiro de Lula no cenário político. Se ele acabará preso ou não ainda é uma dúvida, e o STF parece tender a colaborar com isso se vier a reverter o entendimento sobre prisão após condenação em segunda instância. Mas na política, Lula está morto, e tanto ele quanto o PT sabem disso.

Toda e qualquer tentativa de desqualificar o conteúdo de depoimentos, ou de uma eventual delação premiada de Antônio Palocci, será inútil porque a figura de Antônio Palocci é indissociável das figuras de Lula, Dilma e do próprio PT. E a insistência nessa estratégia só dará ao “italiano” mais prazer na hora de começar a contar tudo o que sabe.

Lula não encanta mais ninguém, a caravana da vergonha mostrou isso. Os asnos estão em debandada.

HS Naddeo

Brasileiro escrivinhador de ofício, palpiteiro, cheio de opinião, jornalista, publicitário, administrador, marketeiro, anti-petista, anti-corrupção e anti-burrice.