0

Além da Revista Época, quem mais teve acesso a Eduardo Cunha na Papuda?

Por que tanta insistência de Eduardo Cunha para cumprir prisão provisória em Brasília?

Minha intuição é de que Sérgio Moro e Vallisney de Souza Oliveira foram passados para trás. Não sei se pela Polícia Federal, mais provável, ou pelo Ministério Público.

A solicitação de que Eduardo Cunha fosse transferido para depor em Brasília soou estranha desde o princípio. No dia 18 de setembro escrevi o artigo A estranha passagem de Eduardo Cunha por Brasília, no qual abordei o assunto. Nele eu já falava das insistentes petições para que ele fosse transferido para Brasília.

Eduardo Cunha ficou preso no presídio da Papuda, mesmo lugar onde está preso Geddel Vieira Lima, o homem das malas com 51 milhões de reais e candidato fortíssimo à delação premiada.

Muitos foram os presos e testemunhas que prestaram depoimento através de videoconferência desde que começou a Lava Jato. Por que com Eduardo Cunha o procedimento não foi o mesmo? Muitos foram os juízes, delegados, promotores e procuradores que se deslocaram até os presos para tomar seu depoimento. Por que com Eduardo Cunha foi diferente?

E então, questionei no artigo anterior e o faço novamente: se alguém quisesse fazer uma visita sorrateira a ele, na calada da noite, ou até mesmo do dia, seria mais fácil que isso acontecesse com ele preso em Curitiba ou preso em Brasília? Se alguém precisasse de uma oportunidade para bater um papo com Eduardo Cunha para acertar alguns detalhes sórdidos, uma hora seria suficiente? Ou duas?

A Revista Época teve acesso a Eduardo Cunha no presídio da Papuda. E na entrevista ele claramente trabalha para desmoralizar a delação de seu operador Lúcio Funaro e também para inocentar o Michel Temer em tudo o que pode. Ao mesmo tempo, o ex-deputado aproveita também para mostrar para a nova PGR que tem muita lenha para queimar num bom acordo, e para o próprio Temer que o relógio está andando. Cunha não quis fazer acordo com Janot, mas diz aceitar conversar com Raquel Dodge.

Enquanto isso, seus advogados continuam trabalhando insistentemente para que um desses tribunais com um desembargador daqueles aceite a ideia de transferi-lo definitivamente para Brasília, só Deus sabe para ficar mais perto de quem, porque do juiz Vallisney com certeza não é.

Moro e Vallisney deveriam mandar Eduardo Cunha imediatamente de volta para Curitiba, ambos podem fazer isso.

E se no artigo anterior terminei dizendo que “Num país onde a política real faz do seriado americano House of Card uma caricatura bizarra do que é possível se fazer na briga pelo poder, convenhamos, essa semana brasiliense de Eduardo Cunha soa, no mínimo, muito estranha”, nesse não dá para comparar com outra coisa se não com o programa Zorra Total.

E fica a pergunta`, com trocadilho e tudo: Já foi a Época. Quem mais visitou Eduardo Cunha na Papuda?

 

No Ponto Do Fato